Conteúdo publicado há 2 meses

Mulher é encontrada morta com sinais de asfixia dentro de casa em MT

Uma empresária de 39 anos foi encontrada morta com sinais de asfixia dentro da própria casa em Aripuanã, a 976 km de Cuiabá, na sexta-feira (2). O suspeito do crime, seu namorado, também morreu após cair de um penhasco.

O que aconteceu

O corpo de Simone Sandra Rossi foi encontrado sem roupas e com sinais de hematomas no pescoço e na cabeça, segundo informações da Polícia Civil de Mato Grosso. O crime ocorreu na residência da vítima.

Os agentes constataram que a empresária já estava morta há um certo tempo, devido a rigidez cadavérica.

Familiares e amigos da vítima chegaram a telefonar para ela, mas como não tiveram retorno procuraram o suspeito que disse que a vítima havia bebido demais e que estava dormindo.

Desconfiada, uma amiga conseguiu entrar na residência pela janela da cozinha. Ela encontrou o corpo de Simone e acionou a polícia.

Dois celulares danificados também foram encontrados em cima da cama. O suspeito foi identificado como Cleiton Ramalho dos Santos. O caso será investigado pela Polícia Civil.

Durante a ocorrência, a polícia foi informada que o suspeito havia fugido com o carro da vítima. Ele foi encontrado no Mirante Salto das Andorinhas.

Segundo a polícia, o suspeito ameaçou por diversas vezes de jogar do penhasco. "Por inúmeras vezes foi pedido para que ele ficasse calmo e que saísse daquele lugar, que ali era muito perigoso, mas o suspeito apenas dava sinal que queria se matar e dizia que tinha acabado com a sua vida", informou em nota a Polícia Civil de Mato Grosso.

Continua após a publicidade

Cleiton Ramalho dos Santos teria escorregado e caído do mirante, esclareceu a corporação. O corpo dele foi retirado do local pelo Corpo de Bombeiros.

Em caso de violência, denuncie

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 190 e denuncie.

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares.

Também é possível realizar denúncias pelo número 180 — Central de Atendimento à Mulher — e do Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Há ainda o aplicativo Direitos Humanos Brasil e através da página da Ouvidoria Nacional de Diretos Humanos (ONDH) do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). Vítimas de violência doméstica podem fazer a denúncia em até seis meses.

Continua após a publicidade

Centro de Valorização da Vida

Caso você esteja pensando em cometer suicídio, procure ajuda especializada como o CVV (Centro de Valorização da Vida) e os CAPS (Centros de Atenção Psicossocial) da sua cidade. O CVV funciona 24 horas por dia (inclusive aos feriados) pelo telefone 188, e também atende por e-mail, chat e pessoalmente. São mais de 120 postos de atendimento em todo o Brasil.

*Com Juína News

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes