Conteúdo publicado há 2 meses

Brasileira encontrada morta vai ser cremada nos Estados Unidos

O corpo da brasileira Kethlen Paula Alves Tavares, encontrada morta nos Estados Unidos com o namorado, também brasileiro e suspeito do crime, vai ser cremado no país.

O que aconteceu

Familiares da jovem vão para Massachusetts acompanhar o velório e a cremação. A informação foi dada por um amigo da família ao canal Boston 25 News.

Depois, as cinzas de Kethlen serão levadas para Governador Valadares (MG), cidade na qual ela morou.

O suspeito do crime é o namorado de Kethlen, Marlon Moreira Costa, que é brasileiro e foi encontrado morto ao lado dela. O caso é investigado como assassinato seguido de suicídio.

Relembre o caso

As mortes de Kethlen e Marlon foram registradas em Marlborough na quarta-feira (29).

Eles foram encontrados mortos com ferimentos causados por disparos de arma de fogo, segundo o jornal NBC Boston.

Os investigadores suspeitam de que o homem não aceitava o fim do relacionamento. Ele teria ameaçado a mulher na noite de terça-feira (28). Por isso, a brasileira teria decidido sair da casa dele e voltar para sua casa, onde foi morta.

Continua após a publicidade

A polícia local afirma que o homem forçou a entrada na casa pela janela e ameaçou a mulher mais uma vez antes de atirar nela. O caso é investigado pelos detetives da Polícia Estadual de Massachusetts.

O Itamaraty, por meio do Consulado-Geral do Brasil em Boston, afirmou ao UOL que permanece à disposição para prestar assistência consular aos familiares da nacional brasileira.

Em caso de violência, denuncie

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 190 e denuncie.

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares.

Também é possível realizar denúncias pelo número 180 — Central de Atendimento à Mulher — e do Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Continua após a publicidade

Há ainda o aplicativo Direitos Humanos Brasil e através da página da Ouvidoria Nacional de Diretos Humanos (ONDH) do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). Vítimas de violência doméstica podem fazer a denúncia em até seis meses.

Centro de Valorização da Vida

Caso você esteja pensando em cometer suicídio, procure ajuda especializada como o CVV (Centro de Valorização da Vida) e os CAPS (Centros de Atenção Psicossocial) da sua cidade. O CVV funciona 24 horas por dia (inclusive aos feriados) pelo telefone 188, e também atende por e-mail, chat e pessoalmente. São mais de 120 postos de atendimento em todo o Brasil.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes