Conteúdo publicado há 3 meses

Galã do Tinder' pega mais 2 anos de prisão e deve pagar R$ 20 mil a vítima

A Justiça condenou o homem conhecido como "galã do Tinder" a mais 2 anos de prisão por estelionato. Ele foi preso em setembro de 2022 por aplicar golpes em mulheres que conhecia em sites e aplicativos de relacionamento.

O que aconteceu

Renan Augusto Gomes foi condenado a mais 2 anos e 4 meses de reclusão em regime semiaberto. Como está preso preventivamente, ele não poderá recorrer em liberdade.

O "Galã do Tinder" também deverá pagar R$ 20 mil de indenização para uma das vítimas. A decisão da 3ª Vara de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher de São Paulo atende a um pedido do MPSP.

O réu foi descrito como "estelionatário sentimental" pelo promotor Paulo Roberto Ferreira Fortes. Gomes estabeleceu vínculo afetivo com uma mulher que conheceu em um site de relacionamentos e, depois, passou a pedir quantias em dinheiro a ela para, supostamente, pagar dívidas.

A vítima repassou a ele R$ 17 mil, divididos em três repasses - de R$ 2 mil, R$ 4 mil e R$ 11 mil. O homem sumiu e nunca devolveu o valor.

O UOL tenta localizar a defesa de Renan. O espaço está aberto para manifestações.

Condenação anterior

Em fevereiro, Renan Augusto Gomes foi condenado a 4 anos e 6 meses por estelionato. O processo e a decisão são da Justiça de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, e estão em segredo de Justiça.

Continua após a publicidade

De acordo com a investigação da polícia, o homem usou nomes falsos para roubar pelo menos sete mulheres com quem se relacionou em São Paulo. Ele se descrevia como recém-solteiro, sem filhos e avesso a aventuras sexuais ou casuais, sempre em busca de um relacionamento estável.

Uma das vítimas de Renan contou que deu R$ 100 mil em dinheiro vivo a ele enquanto era enganada.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes