PUBLICIDADE

Topo

Já pensou na aposentadoria? Veja por onde começar a se organizar

"Quanto antes você começar a investir com essa finalidade, maiores serão as chances de  conseguir se aposentar com segurança" - Getty Images/iStockphoto
"Quanto antes você começar a investir com essa finalidade, maiores serão as chances de conseguir se aposentar com segurança" Imagem: Getty Images/iStockphoto

Por Luciana Mendonça

Colaboração para Universa, de São Paulo

11/05/2022 04h00Atualizada em 11/05/2022 17h15

Responda com sinceridade: você já pensou sobre sua aposentadoria? Conhece as regras para conseguir o benefício? Colabora com regularidade para garantir que será assistido pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social)? Se respondeu não a essas perguntas, é bom fazê-las, pois quanto antes começar a planejar a aposentadoria, melhor estará preparada para viver esse momento com tranquilidade.

A última reforma da Previdência foi realizada em 2019 e suas regras entraram em vigor recentemente. Uma das principais mudanças foi o aumento no tempo de contribuição, ou seja, tempo de trabalho. Apesar de polêmica, a mudança se baseia no fato de que a população brasileira está envelhecendo —dados do IBGE mostram que em 2021, esse número chegou a 30,3 milhões de pessoas.

A partir desse cenário, Luciana Maia Campos Machado, professora de Finanças da Faculdade Fipecafi, defende que refletir desde cedo sobre a aposentadoria é essencial para que esse planejamento permita a estabilidade financeira desejada.

"Quanto antes você começar a poupar e investir com essa finalidade, maiores serão as chances de conseguir se aposentar com segurança. É comum vermos pessoas que somente param para pensar na aposentadoria quando ela se aproxima e, ao se aposentar, continuam trabalhando, pois sentem forte impacto na renda", ressalta.

Como planejar

A especialista explica que uma das formas de iniciar o planejamento da aposentadoria é definir a renda mensal que você gostaria de ter, depois de aposentada.

Assim, pergunte-se qual valor será necessário, adicionalmente ao benefício de aposentadoria do INSS —caso a pessoa seja beneficiária elegível— para que tenha uma aposentadoria confortável. A partir disso, calcule quanto deverá ser poupado a partir desse momento, para que consiga atingir o valor que estipulou como ideal para você.

Início de carreira

Para quem está entrando no mercado de trabalho agora, Luciana indica que, primeiramente, a pessoa tenha em mente quais as perspectivas que possui para quando se aposentar, considerando projeções de necessidades básicas, como plano de saúde, alimentação e moradia, até uma perspectiva de eventuais recursos adicionais desejados, como a viagem dos sonhos.

"Se a pessoa conseguir se organizar financeiramente e poupar desde cedo, é possível atender às necessidades básicas, garantir continuidade no padrão de vida anterior à aposentadoria e desfrutar com segurança", garante Machado.

Com um planejamento estruturado, é hora de executá-lo, com disciplina. Assim, tenha metas, poupe e invista. "O importante, no caso de uma reserva financeira para aposentadoria, é se manter firme no propósito. Não utilize a reserva que está sendo construída para outra finalidade --ela é sua aposentadoria, não reserva de emergência"
Luciana Maia Campos Machado

Para quem já está no mercado de trabalho com carteira assinada, obrigatoriamente já contribui com a Previdência. Neste caso, a especialista recomenda conhecer as suas condições para a "Aposentadoria por Tempo de Contribuição" e considerar prazo e benefício financeiro esperado ao planejar a reserva financeira para a aposentadoria.

Melhores investimentos

Sobre as possibilidades de investimentos para a aposentadoria, Luciana revela que é recomendável diversificar a carteira, assim como em qualquer outra aplicação financeira. "Lembre-se que investir no longo prazo, pensando em aposentadoria, permite renunciar a liquidez e garantir rentabilidade maior do capital investido", explica.

Além das possibilidades de investimentos em renda variável, como ações e fundos de investimentos, para quem não se sentir confortável para investir, há a opção dos planos de previdência privados.

Os planos de previdência privada têm o objetivo de proporcionar uma renda adicional à da previdência pública e são oferecidos por instituições financeiras com opções que atendam diferentes perfis e objetivos.

"Nesse caso, ao analisar as opções oferecidas pelo seu banco, recomendo que se atenha a questões como aderência da proposta ao seu perfil, à gestão, taxas de administração praticadas e perfil da alocação em carteira", indica Machado.

Por fim, a especialista ressalta que nada adianta planejamento e execução adequados se não houver cuidado com a saúde. "Despesas com saúde são as principais surpresas que pesam no orçamento de pessoas que chegam à aposentadoria. Cuidar-se e realizar check-ups periódicos é sempre recomendável'.