PUBLICIDADE

Topo

Carreira e finanças

Guia básico do economês para entender o que acontece com o seu bolso

Acompanhar a economia ajuda nas melhores escolhas para sua vida financeira - DaniloAndjus/iStock
Acompanhar a economia ajuda nas melhores escolhas para sua vida financeira Imagem: DaniloAndjus/iStock

Luciana Mendonça

Colaboração para Universa

14/02/2022 04h00

Muita gente justifica a falta de interesse em acompanhar o noticiário econômico por não entender o que está sendo dito. De fato, economia é um assunto complexo e alguns conceitos podem parecer difíceis mesmo. Porém, o básico do economês é importante entender e acompanhar por um simples motivo: ele exerce influência direta no seu bolso.

Agora que você sabe disso, preparamos um guia básico de conceitos para que você tenha condições de entender a quantas anda a economia do país e, a partir disso, possa fazer as melhores escolhas para sua vida financeira.

O que é economia
De forma resumida, a economia é a ciência que estuda o conjunto de atividades desenvolvidas pelos homens com o objetivo de produzir, distribuir e consumir bens e serviços que são necessários para a nossa sobrevivência e qualidade de vida.

Jorge Nahas, economista e CEO da empresa O Melhor da Vida, defende que alguns indicadores são fundamentais acompanhar porque exercem influência diária nas suas finanças. "Eles são simples de acompanhar e geralmente se relacionam", explica o economista.

Taxa básica de juros (Selic)
Um destes conceitos é a taxa básica de juros, que no Brasil, recebe o nome de Selic. A cada 45 dias, o Banco Central reúne seu Comitê de Política Monetária (Copom) para dizer se ela vai aumentar, diminuir ou se manter no mesmo patamar até a próxima avaliação do Comitê.

Na vida prática, se você é uma empreendedora com planos de pedir empréstimo para aumentar sua produção, a Selic em alta indica que não é o melhor momento para fazer este investimento.

"A alta da Selic indica que estamos pagando mais pelos empréstimos que tomamos. Sabendo disso, você pode esperar uma baixa na Selic para procurar melhores opções de crédito, ou seja, empréstimo com parcelas mais baixas", explica Nahas.

Outra influência da Selic é sobre investimentos no setor produtivo. Quando ela está alta, observamos uma recuada neste movimento. "A mesma regra se aplica para financiamentos imobiliário, empréstimos e outros produtos bancários, como o crédito pessoal", afirma o economista.

Inflação
A Selic também ajuda o governo federal a controlar a inflação, que nada mais é que o índice que representa o aumento de preço de produtos e serviços.

"Na última reunião do Copom, a Selic foi para 10,75%. Esta alta foi definida na tentativa de conter a inflação, que vem causando forte impacto no nosso poder de comprar. Exemplo prático da inflação alta em nosso bolso? Todo mundo reclamando do preço dos alimentos, com a sensação de que gastamos cada vez mais e levamos cada vez menos para a casa."

Câmbio
O câmbio é outro indicador que deve ser acompanhado de perto. Sua flutuação -- sobe e desce -- pode ou não favorecer as importações e exportações do país, sendo uma informação importante, principalmente se você é uma empreendedora ou pequena empresária.

"O dólar alto favorece as exportações, porque o produto brasileiro se torna mais barato para o mercado internacional. Acompanhar o câmbio também é importante, se você produz com insumos importados. Se o dólar estiver alto, isso pode pressionar o preço do seu produto. Se isso acontecer, será que é melhor hora para reajuste? Você tem condições de segurar o preço para deixar seu produto mais competitivo? Você ganha capacidade de planejamento para seu negócio, suas finanças, apenas prestando atenção na movimentação cambial", afirma Nahas.

Desemprego
Os índices de desemprego de um país também servem para avaliarmos se é um bom ou mau momento econômico. "Quando estamos vivendo pleno emprego, com poucas pessoas desempregadas, sabemos que a economia nacional está mais próspera, mais sólida. O contrário indica que passamos por uma situação mais delicada e que precisamos ser cautelosos, tanto nos negócios, como nos gastos pessoais."

Reserva cambial
As reservas cambiais dizem respeito ao montante de moeda estrangeira (e ouro) acumulado por um país. Segundo Nahas, "um país que gasta menos, que é econômico, tem mais reservas cambiais e melhor credibilidade diante do mercado. Este é um indicador importante para que você possa avaliar o cenário econômico e se é hora de ser mais reservada ou comedida em relação a tomada de decisões que possam influenciar suas finanças".

Política
Para finalizar este guia, Nahas alerta para as questões políticas. O mercado financeiro é extremamente sensível a decisões políticas. "Este ano, temos eleições importantes, o que deve causar impactos relevantes para a economia. Como vimos aqui, boa parte dos indicadores se conectam e relacionam. Observando o básico, certamente você estará preparada para entender o momento econômico do país e tomar boas decisões para a sua vida em termos financeiros e econômicos", finaliza o economista.

Carreira e finanças