PUBLICIDADE

Topo

Stalkeadas

Um olhar diferente sobre o que bomba nas redes sociais


Stalkeadas

Gabi da AE4 contrata assessoria após virar meme: "Não quero ser política"

Gabi da AE4: "Não tenho nenhuma pretensão política, tanto que faço administração de empresas" - Arquivo pessoal
Gabi da AE4: "Não tenho nenhuma pretensão política, tanto que faço administração de empresas" Imagem: Arquivo pessoal

Júlia Flores

De Universa

27/03/2021 14h23

Desde que o meme da "Gabi da AE4" surgiu na internet, o telefone da paranaense Gabriela Ricci não para de tocar. "Falei com tanta gente, acho que já dei mais de dez entrevistas desde que a história bombou", conta a jovem de 17 anos a Universa, por telefone. Para ajudar a lidar com a fama, a família da caloura da FGV (Fundação Getúlio Vargas) contratou até uma assessora de imprensa para organizar a agenda dela.

"Foi muito inesperado. Acho que ninguém, nem eu, nem minha família, nem meus amigos, nem o pessoal da minha turma contávamos com essa repercussão toda", diz. Caso você esteja por fora da brincadeira que tomou conta das redes sociais nos últimos dias, a gente explica: tudo começou depois que vídeos de famosos desejando boa sorte aos calouros da FGV tomaram a internet — como o nome da "Gabi da AE4" foi um dos mais citados pelas celebridades, não demorou para que ela se transformasse no novo meme das redes sociais brasileiras.

As apresentadoras Xuxa e Angélica, o ex-ministro Sérgio Moro, os deputados federais Alexandre Frota (PSDB-SP) e Rodrigo Maia (DEM-RJ) e outros famosos gravaram mensagens de apoio para a gincana. Além dos memes, os vídeos foram alvos de críticas sobre a relevância da união entre pessoas influentes, ricas e brancas. Questionou-se, por exemplo, se os pedidos seriam atendidos se fossem feitos por estudantes negros e o por quê de essas celebridades não se unirem por causas urgentes, como a pandemia.

Orientada pela assessoria, Gabi preferiu não falar sobre as críticas e prefere ver o lado bom dessa brincadeira. "Estamos tentando transformar essa visibilidade em algo positivo", comenta. Na entrevista abaixo, a aluna mais popular da AE4 fala sobre a fama repentina, os planos para o futuro e comenta sobre o seu aniversário de 15 anos, que também virou assunto na internet. Confira:

UNIVERSA - Como conseguiu vídeos de tantos famosos?

Gabriela Ricci - A turma toda se engajou para conseguir. Fomos mandando mensagem para quem a gente pensava que poderia nos ajudar. Eu mandei mensagem para muitos artistas, confesso. Enchemos as caixinhas de notificações deles, e os que me responderam acabaram falando um "oi" para a Gabi — foi assim que surgiu a Gabi da AE4. Acho que eles me responderam pela quantidade de mensagens que eu mandei.

De uma hora para outra, você virou meme. Como está lidando com essa fama repentina?

Foi algo muito inesperado. Acho que ninguém, nem eu, nem minha família, nem meus amigos, nem o pessoal da minha turma contávamos com essa repercussão da gincana. Contratamos uma assessora de imprensa para nos ajudar a lidar com a situação. Já dei mais de dez entrevistas desde que a história bombou. Estamos tentando reverter tudo isso para causas sociais. Recebemos o contato de várias empresas querendo fazer parcerias com a gente, então estamos tentando transformar essa visibilidade para algo positivo.

Qual famoso mais te surpreendeu?

Todos me surpreenderam muito. Acho que conseguimos famosos de todas as áreas, do esporte à publicidade. Até mesmo políticos. A gente conseguiu unir o Brasil. Além disso, teve até gringo na brincadeira. Fiquei surpresa com o vídeo do Jay (Ed O'Neill), sou uma grande fã de Modern Family e acompanho sempre.

Sérgio Moro está enfrentando uma fase turbulenta de sua trajetória profissional e ainda assim encontrou tempo para gravar vídeos para os calouros da FGV. Quando foram feitos os pedidos de vídeos para os famosos?

A gincana começou nessa semana e vai até o dia 5 de abril. Ficamos felizes pelo Moro ter tirado um tempinho da correria da vida dele para gravar um vídeo para a gente. Foi muito gratificante todo o apoio que os famosos deram à causa.

Na sua opinião, essas celebridades se engajariam nessa mesma proporção se a causa fosse outra? Alguns deles nunca nem se pronunciaram sobre a pandemia.

Acredito que sim, eles se uniriam por uma causa positiva. É o que estamos tentando fazer agora: pedir apoio dos famosos que gravaram os vídeos para ajudarem nossas causas.

Nas redes sociais, apontaram uma funcionária da Globo com o mesmo sobrenome que o seu como sendo sua mãe, mas na verdade não é. Inventaram outras coisas sobre você depois dos vídeos?

Hoje na internet você tem acesso a tudo, qualquer coisa que queira pesquisar, você encontra. Acabaram relacionando o meu nome ao de muitas pessoas que eu não conheço. Meus pais nem usam redes sociais. Eu que avisei para eles, e eles entraram na brincadeira, deram risada.

Entre as brincadeiras e memes que surgiram na internet, alguns usuários sugeriram que você se candidatasse para a eleição de 2022.

Não tenho nenhuma pretensão política, tanto que faço administração de empresas. Sou caloura da faculdade. Acabei de terminar o primeiro mês, tem muita coisa para aprender. Ainda faltam quatro anos de graduação, mas acredito que toda essa visibilidade que a gente ganhou, toda a causa, abriu muito nossos horizontes, trouxe novos tópicos para serem pensados.

O que tem a dizer em relação às críticas que surgiram?

Quando um assunto está muito em pauta nas redes, acho que é comum ter partes positivas e negativas, mas eu realmente levo isso para um lado positivo. Temos recebido muito apoio e isso é maior do que todas as críticas que estão rolando.

Stalkeadas