PUBLICIDADE

Topo

Universa

Pandemia fez Rihanna precisar reinventar o 'Savage X Fenty Show'

Rihanna posa com lingerie de sua marca, Savage X Fenty - Reprodução/Instagram
Rihanna posa com lingerie de sua marca, Savage X Fenty Imagem: Reprodução/Instagram

De Universa, em São Paulo

30/09/2020 15h11

Rihanna — cantora, designer e empresária — precisou dar seus pulos para produzir a segunda edição do "Savage X Fenty Show" durante a pandemia da covid-19.

"[A pandemia] nos forçou a descobrir novas formas de produzir um show. Nós tivemos que descobrir maneiras de fazer com que isso seja o mais visualmente atraente possível", disse a cantora. "Foram processos completamente diferentes esse ano."

Nós tivemos que superar os desafios da covid-19, manter todo mundo seguro e colocar a saúde deles como nossa maior prioridade

Para coroar o ano em que lançou uma linha de cosméticos (Fenty Skin) e uma linha masculina na sua marca de underwear (Savage X Fenty), a cantora vai estrear nessa sexta-feira (2) o show que reúne suas marcas no Prime Video, da Amazon.

Estão confirmadas as performances de Travis Scott, Rosalía, Bad Bunny, Ella Mai, Miguel, Mustard and Roddy Ricch, além das participações especiais de Lizzo, Bella Hadid, Big Sean, Cara Delevingne, Christian Combs, Demi Moore, Irina Shayk, Laura Harrier, Normani, Paloma Elsesser, Paris Hilton, Rico Nasty e Willow Smith.

Confira o teaser:

Celebrando a diversidade

Como vimos na primeira edição do "Savage X Fenty Show", a proposta é trazer e celebrar a diversidade — seja nas lingeries, seja na maquiagem. Rihanna reforçou à People que esses valores estão presentes em todas as suas produções, desde sempre.

Inclusão sempre fez parte da nossa marca, não é uma coisa de momento.

"É triste que seja uma coisa de momento para a maior parte das marcas, mas sempre foi quem eu sou. Sempre foi assim que eu toquei tudo o que eu tenho feito criativamente", declarou.

Para a cantora caribenha, é animador ver que as pessoas são uma parte da sua marca e que nada disso começou com a intenção de começar um movimento, nem nada.

"Eu me sinto muito feliz que há mulheres se sentindo representadas no palco pela primeira vez. Se nós conseguimos continuar expandindo isso, nós já teremos alcançado mas do que nós queríamos no início", afirmou.

Universa