PUBLICIDADE

Topo

Menina se veste de "princesa gari" em festa para celebrar coletores do Rio

Larissa, 7, usou vestido feito de uniforme antigo do tio para comemorar aniversário - Arquivo Pessoal
Larissa, 7, usou vestido feito de uniforme antigo do tio para comemorar aniversário Imagem: Arquivo Pessoal

Natália Eiras

De Universa

13/02/2020 04h00

A festa de 7 anos de Larissa Lemos, do Rio de Janeiro, teve um ponto alto: a passagem do caminhão de coleta de lixo da Companhia Municipal de Limpeza Urbana, a Comlurb.

Com um vestido laranja com a faixa azul com o nome da companhia e o brasão da prefeitura da cidade, a menina, vestida como uma princesa gari, queria abraçar os seus "amigos garis", já que ela escolheu homenagear esses trabalhadores na comemoração de seu aniversário.

"Fiquei muito feliz em perceber que consegui transmitir para ela o valor das coisas e das pessoas, porque normalmente as crianças pedem festas de super-heróis, princesas e nós também vemos os garis como heróis", fala a mãe da menina, a autônoma Lúcia Lemos.

A admiração nasceu dentro de casa, já que o irmão de Lúcia e tio de Larissa trabalha como gari. Mas a afeição passou para todos os trabalhadores da Comlurb. "Ela gosta muito de falar com eles, abraçá-los e eles sempre foram muito simpáticos."

Larissa esperou a passagem do caminhão da coleta para abraçar garis - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Larissa esperou a passagem do caminhão da coleta para abraçar garis
Imagem: Arquivo Pessoal

O figurino foi um espetáculo à parte para Larissa e para os lixeiros que fazem a coleta de lixo da rua da família, no Bangu. Feito pela própria mãe, o vestido laranja era bastante rodado, garantindo a diversão da menina, que "passou a noite toda rodopiando.

"A ideia inicial era ela usar um uniforme antigo do meu irmão. Mas Larissa também queria se vestir de princesa. Como sempre falamos para ela que princesas são mulheres reais, decidimos fazer o vestido com o logo da Comlurb para simbolizar todas as mulheres que trabalham como gari", fala a mãe de Larissa, que usou uma parte do uniforme para fazer a faixa do vestido que foi na cintura da menina. "Ela ficou muito contente".

Decoração da festinha foi feita por Lucia Lemos, mãe da menina - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Decoração da festinha foi feita por Lucia Lemos, mãe da menina
Imagem: Arquivo Pessoal

A festinha aconteceu na casa de Lúcia, com decoração assinada pela autônoma. O bolinho e docinhos foram divididos entre Larissa e os amigos da rua. Ao cantar parabéns, a menina chorou de emoção. Naquele dia, havia chovido muito no Rio de Janeiro e, por isso, o caminhão de coleta demorou a passar.

"Mas Larissa ficou acordada até tarde da noite, perto da meia-noite, para abraçar os amigos dela." E com um sorrisão no rosto, a menina posou para as fotos com os homenageados da noite. " Fiquei muito feliz em ver como uma criança nessa idade conseguiu ter um discernimento tão bom", conta, orgulhosa, a mãe.

Fofuras