PUBLICIDADE

Topo

Governo promete investimento de R$ 42 milhões na Casa da Mulher Brasileira

Fachada da Casa da Mulher Brasileira em São Paulo - Júlia Zaremba/Folhapress
Fachada da Casa da Mulher Brasileira em São Paulo Imagem: Júlia Zaremba/Folhapress

De Universa

13/02/2020 11h59

Após repercussão da informação de que o principal programa do governo de combate à violência de gênero, a Casa da Mulher Brasileira, não recebeu investimento em 2019, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos afirmou, nesta quinta-feira (13), que deve investir mais de R$ 42 milhões para a iniciativa em 2020.

O dado de que o programa não recebeu um único centavo no ano passado foi divulgado em reportagem do jornal "O Estado de S. Paulo" no dia 4 de fevereiro.

A Casa da Mulher Brasileira foi lançada em 2015, no governo da então presidente Dilma Rousseff (PT), e tem como principal objetivo construir ao menos uma unidade de atendimento por estado para receber e ajudar vítimas de violência, principalmente doméstica.

A promessa é entregar 25 novas unidades neste ano, para "que a política pública chegue a municípios de pequeno e médio porte, enquanto o projeto anterior só levava em conta as capitais".

De acordo com o ministério, cidades como Volta Redonda (RJ), Tefé (AM), Guanambi (BA), Uberaba (MG), entre outras, terão a implementação de uma casa.

Anteriormente, a ministra Damares Alves havia anunciado que a pasta não tinha condições de custear o programa, e a justificativa para a paralisação do custeio de novas unidades foi a falta de acordo com a Caixa Econômica Federal.

Neste ano, o orçamento da Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres (SNPM) passou de R$ 30 milhões para R$ 80 milhões, aumento alcançado por meio de emendas, segundo a pasta.

Direitos da mulher