Topo

Transforma

Mulheres protagonizam um mundo em evolução


"Fui feita de piada": Sharon Stone refaz cena icônica e fala de feminismo

Sharon Stone em Instinto Selvagem (1992) e ao receber o prêmio de Mulher do Ano da GQ - Montagem UOL/ Fotos: Reprodução
Sharon Stone em Instinto Selvagem (1992) e ao receber o prêmio de Mulher do Ano da GQ Imagem: Montagem UOL/ Fotos: Reprodução

De Universa, em São Paulo

08/11/2019 11h55

Sharon Stone compareceu ao GQ Men of the Years Awards, nesta semana, para receber o seu prêmio de Mulher do Ano. Em um discurso enfático no qual abordou feminismo e empoderamento, a estrela recriou a famosa cena de Instinto Selvagem (1992) em que cruza as pernas enquanto é interrogada pela polícia.

"Eu estou aqui, como mulher do ano, como mais do que um indivíduo. Estou aqui para estar ao lado das outras mulheres, e fazer parte delas. Estou aqui com a minha graça, a minha suavidade, e minha dignidade", comentou ela.

"E eu preciso dizer: foi difícil ganhar esta dignidade depois que fiz isso", disse ainda, cruzando as pernas como fez no filme. "Eu quero dizer obrigada por terem me escolhido como mulher do ano, porque houve um tempo em que eu era apenas uma piada".

A história da cena

Stone começou contando a história por trás da cena de Instinto Selvagem, indicando que o diretor Paul Verhoeven pediu que ela tirasse a calcinha durante as gravações.

"Alguns anos atrás, quando não era permitido ser quem nós somos nas nossas cidades pequenas, eu estava sentada em um estúdio, e meu diretor disse: 'Você pode tirar sua calcinha e me dar? Porque estamos vendo sua calcinha na cena, e você não deveria estar usando. Mas não se preocupe, não vamos mostrar nada'. E eu disse: 'Claro'. Eu não sabia que esse momento mudaria a minha vida", disse.

Stone então pediu que todos na plateia cruzassem as pernas com ela, e depois perguntou, com ironia: "Vocês se sentem empoderados?".

A partir daí, a atriz emendou um discurso sobre momentos definidores, e sobre as consequências deles. "Cada um de vocês vai ter um momento como o meu, um momento que mudará as suas vidas. Pode ser que vocês percebam quando ele estiver acontecendo, e pode ser que não", disse.

"Mas eu vou lhes dizer uma coisa: Vocês vão ter este momento, se é que já não tiveram. E vocês vão ter que enfrentar as consequências, se é que já não tiveram. As pessoas vão lhes fazer muitas perguntas difíceis, se é que já não fizeram", continuou.

"Então, agora é a hora de decidir quem você é. Agora é a hora de decidir o que você vai fazer com a parte mais importante de você. Aquela parte que é suave, bela, selvagem, passional. O que você vai fazer com isso? Eu vou dizer o que eu fiz com a minha: Eu a respeitei. E eu gostaria de sugerir que vocês façam o mesmo", aconselhou ainda.

Lição de feminismo

Stone ainda encontrou tempo para exaltar outras mulheres, e falar das denúncias de assédio sexual que se espalham recentemente por todas as áreas do mercado do trabalho — incluindo a sua, do entretenimento.

"Nós temos todo o direito de ser poderosas em qualquer tipo de sexualidade que escolhemos expressar. Ninguém tem permissão de tirar isso de você. Você precisa se apresentar de uma forma que te permita ser respeitada, amada", apontou.

"Esse negócio saiu totalmente do controle, e já estava fora de controle quando começou. Para mim, a única coisa que vai fazer isso mudar é a criação de novas leis, e o envolvimento de serviços sociais em nossas vidas", frisou ainda.

Transforma