PUBLICIDADE

Topo

Mães e filhos

Juliana Didone conta motivo "libertador" que a fez dar mamadeira para filha

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Da Universa

19/10/2018 17h34

A mais nova mamãe do pedaço, Juliana Didone conversou com a revista “Quem” sobre as mudanças que a maternidade trouxe para a sua vida e comentou seu maior desafio: a amamentação.

No bate-papo, a atriz confessou que decidiu dar a mamadeira para a filha, Liz, que nasceu em abril desse ano, para poder “resgatar sua individualidade” gradualmente.

Veja também

"Descobri na amamentação um prazer único. Como é gostosa a troca de carinho, de olhar, como é especial ver a Liz se deliciar com esse momento. Mas confesso, prende, te limita, é doação o tempo inteiro. Então, ando procurando jeitos de resgatar minha individualidade. Aos poucos, duas horas todo dia, ou que seja vai, duas vezes na semana já é um bom começo. Cada pessoa precisa de tempos diferentes. É livre! Mas, sentindo que ela já tem bem definido o que é bico do peito, comecei aos poucos a dar mamadeira, com meu leite mesmo e adivinhem, tem sido libertador", escreveu ela em seu Instagram nesta sexta-feira (19).

Juliana diz que tal “individualidade” é uma busca que ela está fazendo por si só para não se anular como mulher, após se tornar mãe.

"Posso andar de bicicleta, fazer a unha, ir andar, ler, não fazer nada. Descobrir o que eu quero fazer! Porque depois de ser mãe a gente se anula tanto que muitas vezes se perde. Pra ela, tem sido libertador também porque as vezes que tive no final do dia baixa produção de leite, ter um estoque no freezer e colocar na mamadeira foi um alívio. E para vovó, pro papai, que podem também viver o alimentar inicial. Nesses cinco meses de maternidade tenho me libertado de vários conceitos que não estavam me ajudando e sim me culpando. Tenho aprendido que uma mãe feliz, descansada, em paz, é sinônimo de bebê bem, alegre e em paz ", explicou.

Por fim, a atriz relembrou o início da amamentação, época a qual ela se refere como o maior desafio da maternidade.

"Foi difícil a amamentação. Teve um momento que achei que não tinha leite e quase dei fórmula. Por achar que a Liz estava sofrendo de fome, por ouvir as pessoas dizendo: 'coitadinha, essa menina está chorando de fome'. O pior para mim é o sono. Tenho ele muito leve e dormir é algo salutar para mim. Ficar com poucas horas de sono quase me enlouquecia, ainda não é suficiente e acho que nunca mais será. Estou aprendendo a lidar com isso. Mas ela é uma bênção porque dorme muito bem. Dar banho foi algo fácil desde o início, ela ama”, concluiu.

Mães e filhos