PUBLICIDADE

Topo

Relacionamentos

Azar no jogo, sorte no amor: pedido de casamento bombou no Gay Games

Cíntia Marcucci

Colaboração para Universa

26/08/2018 04h00

“Sempre que eu ia a casamentos, me emocionava muito. Era bonito e triste, pois eu pensava que, por ser gay, eu nunca viveria um momento como aquele, dividindo felicidade com amigos e família”, conta Douglas Braga, 36 anos, jogador de futebol que trouxe para o Brasil uma medalha de prata da décima edição dos Gay Games.

Foi na véspera do último jogo dos BeesCats, equipe carioca que esteve na competição, que ele viu que podia viver o próprio sonho. Durante uma sessão de fotos falsa com o time, na frente da Torre Eiffel, ele foi pedido em casamento pelo namorado, Ricardo Perreira, 36.

Veja também

O vídeo do pedido foi visto por mais de 10 mil pessoas no  Instagram. “A gente já conversava sobre oficializar o namoro, mas eu decidi fazer aquilo tudo só quatro dias antes de embarcarmos. Não queria simplesmente ir morar junto, então eu consegui uma joalheria que fizesse as alianças para o mesmo dia e, chegando lá, combinei com uma amiga que nos acompanhava e depois com os meninos do time”, conta Ricardo, que é gerente administrativo e está se formando em gastronomia.

Douglas e Ricardo no pedido de casamento, em Paris - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Ele não esperava que o momento gerasse tanta repercussão. No dia seguinte ele tinha mais de 500 pedidos de amizade, inúmeros comentários, uma enxurrada de mensagens diretas. Praticamente todos de apoio, comemorando o momento dos dois. Ele diz que não gosta de aparecer, mas fica feliz de poder passar uma ideia positiva e de mostrar que o futebol pode ir além da imagem machista de sempre.

Do carnaval até Paris

Os dois se conheceram e ficaram em um Carnaval, mas o relacionamento só começou mesmo um ano depois, já que Douglas mora no Rio e Ricardo em São Paulo. Desde novembro, os dois vivem um romance de ponte aérea.

Embora Ricardo não jogue, fez amizade com os atletas todos do BeesCats e é como membro honorário do time, que treina e se reúne já há cerca de um ano. Douglas é ex-jogador de futebol profissional e já atuou pelo Botafogo.

O BeesCats chegou até a final do torneio na França e perdeu com um gol no final do jogo para o Sud Au Coul, time de Marselha. Após o jogo, na hora que o time estava frustrado e se recuperando da derrota, foi o pedido de casamento que transformou o momento de todos. “O André (Machado, fundador do BeesCats), chegou para gente e falou que a nossa maior vitória foi a vida real, que com o vídeo a gente tinha mostrado para o mundo que dá para mudar as coisas, que nós podemos viver nossos sonhos, e que isso tinha mais valor que qualquer medalha.Ver e viver isso não tem preço”, diz Douglas.

 Os jogos do Gay Games foram disputados no início de agosto em Paris, França, e contaram com a maior delegação brasileira e o melhor resultado. Os 58 atletas trouxeram 24 medalhas em diversas modalidades. Mas o casamento ainda não tem data para acontecer.

Relacionamentos