Topo

Mães e filhos

Como é o parto de um bebê que nasce "sentado"? Fotógrafa mostra fotos

Do UOL, em São Paulo

12/09/2017 14h51

Se a época do nascimento chegou e o bebê se manteve "sentado" dentro da barriga, o melhor é partir logo para um parto cesária, certo? Afinal, como a criança poderia nascer por via vaginal se a cabeça não está encaixada na pélvis?

A fotógrafa canadense Karyn Loftesness mostrou que não é bem assim ao publicar em seu blog a história de uma uma cliente, Raychel, que deu à luz o bebê Silas em casa. Até aí, nada demais. O que realmente chamou a atenção nas imagens foi o fato de o bebê ter começado a nascer pelo lado dos pezinhos --a cabeça saiu por último. A situação é chamada de parto pélvico, quando a criança está "sentada" na barriga da mãe, e não com a cabeça encaixada. 

Mas, atenção: um estudo canadense com base em 52.671 partos, publicado no periódico "Obstetrics & Gynecology" em 2015, descobriu que, quando a criança está sentada, a probabilidade de lesões infantis é muito maior no parto normal do que na cesariana.

Entre os casos indicados para a cesárea, eles citam os bebês que não nascem a termo (entre a 39ª e a 41ª semana de gestação), os que estejam com os pés --e não as nádegas-- no canal do parto, além daqueles que apresentam anomalias como a hidrocefalia, que é o aumento anormal do fluido cefalorraquidiano dentro da cavidade craniana.

O nascimento de Silas

Karyn fez um post em seu site contando como foi a experiência da família, que gostou tanto do ensaio fotográfico produzido na ocasião do parto que autorizou a divulgação. Confira!

"Raychel planejava ter seu quarto bebê, Silas, em casa. Apenas quatro dias antes da data prevista, ela descobriu que ele estava na posição pélvica. O Hospital Universitário Oregon Health & Science, próximo à residência da família, tem um programa especializado para partos pélvicos.

Mas Raychel tinha um histórico de partos anteriores muito rápidos e não queria correr o risco de ficar presa em um congestionamento a caminho da maternidade. Felizmente, as parteiras que havia escolhido para acompanhar a gestação eram muito experientes, deixando-a confortável para o parto em casa.

No entanto, o quarto trabalho de parto de Raychel estava demorando mais do que os anteriores para evoluir e as parteiras chegaram cogitar uma ida ao hospital para verificar como o bebê estava. Ela, então, teve uma conversa séria com Silas e disse: 'Você tem que sair agora!'. De forma inexplicável, o bebê pareceu ouvi-la. Em 10 minutos, a dilatação passou de 5cm para total.

As parteiras instruíram que Raychel não fizesse força naquele momento, até que não pudesse mais aguentar as contrações. Ela ficou de joelhos e sua bolsa por fim estourou. As fotos que você vê são fortes, mas educacionais, e nós sentimos fortemente que elas precisam ser compartilhadas para ajudar a divulgar conhecimentos e conscientização sobre a normalidade e a segurança do parto com um profissional qualificado e experiente".

Mais Mães e filhos