Topo

Universa


Universa

Em noite politizada, candidatas a Miss America colocam Trump na berlinda

A nova Miss America, Cara Mund - Divulgação
A nova Miss America, Cara Mund Imagem: Divulgação

Do UOL

11/09/2017 12h18

Na escolha da mulher mais bonita dos Estados Unidos, não basta uma produção caprichada, carão e postura de miss. Na noite de ontem, em que Cara Mund, da Dakota do Norte, foi eleita Miss America, ela e mais uma candidata deram um show de consciência política e tiveram um alvo em comum: o presidente norte-americano Donald Trump.

Enfática, a Miss Texas Margana Wood respondeu a uma pergunta sobre se ela aprovou a reação de Trump à marcha neonazista em Charlottesville, que acabou na morte de uma mulher e outros 19 protestantes antirracistas.

"Acredito que foi obviamente um ataque terrorista dos supremacistas brancos. Penso que o president Donald Trump deveria ter se pronunciado antes e ter garantido que todos os americanos estão seguros neste país. Esse é o nosso problema número 1 agora", disse Margana, arrancando aplausos, como visto no vídeo (em inglês):

 

Em um segundo momento, a Miss Dakota do Norte e vencedora da noite, Cara Mund, atacou a retirada do país do acordo climático de Paris, iniciativa de Trump. "Acredito que foi uma decisão ruim. Uma vez que rejeitamos o acordo, saímos da mesa de negociações e há evidências do aquecimento climático, e acreditando ou não, precisamos estar nestas negociações. Então acho que foi ruim para os interesses dos Estados Unidos", disse.

Uma lembrança importante é de que de 1996 a 2015, quem era o dono e principal patrocinador do concurso era o próprio Trump. Liberdade de expressão faz a diferença até mesmo em concursos de beleza, como se viu.

Mais Universa