PUBLICIDADE

Topo

Universa

Guru de Ivana na novela, Tarso Brant esclarece em 5 pontos sobre ser trans

Tarso Brant - Álvaro Thomáz/Divulgação
Tarso Brant Imagem: Álvaro Thomáz/Divulgação

Do UOL

10/08/2017 04h00

Escalado para ajudar a personagem Ivana (Carol Duarte), de "A Força do Querer", a se reconhecer como transexual, o ator Tarso Brant estrelou algumas das cenas mais emocionantes da novela. Na ficção, o mineiro se apresentou como Tereza, o nome de registro que usava até a sua estreia na TV.

Tarso é um homem trans e inspirou a autora Gloria Perez para a criação de uma das personagens que mais tem comovido o público do folhetim. Ele tem 24 anos e começou sua transição há cinco.

Tratar do assunto em uma novela de alcance nacional, segundo ele, é extremamente importante para romper com o preconceito social. "Pessoas trans só querem ser aceitas da maneira como se identificam, sem julgamentos", diz.

Aqui, Tarso lista cinco pontos importantes sobre o assunto que todo mundo deveria saber.

1. Transgênero é...

 

Uma publicação compartilhada por ♠?Tarso Brant (@tarsobrant)

 

 

 

 

em

"Uma pessoa que não se identifica com seu gênero físico e sente necessidade de mudá-lo". Ou seja, uma pessoa que nasceu com o genital masculino, mas se entende como mulher, e vice-versa.

2. Identidade de gênero não é o mesmo que orientação sexual

"Enquanto identidade de gênero é como a pessoa se define (homem ou mulher), orientação sexual diz respeito à preferência dessa pessoa por parceiros com os quais vai se relacionar intimamente (gay, lésbica, bissexual...). Eu, por exemplo, nasci mulher, me tornei homem e me interesso mais por mulheres.” Não existem regras, apenas escolhas individuais!

3. Um dos primeiros conflitos se dá diante do espelho

“Essa é a minha principal semelhança com a Ivana. Eu e a personagem não nos demos muito bem com a nossa imagem refletida. Desde criança, eu sabia que havia algo de ‘errado’ comigo e só depois descobri que não me adequava ao meu gênero. Nasci mulher, mas me sentia e me via como homem.”

4. A transição não é um processo simples

“Cada um passa por um processo de total identificação de maneira diferente. No meu caso, consigo dividir minha transição em três etapas: confusão, revolta e equilíbrio. A mudança física de fato aos 19 anos.”

5. É a pessoa trans quem escolhe a maneira como prefere ser tratada

"Respeite as escolhas de cada um, como opções únicas e individuais. Não crie um padrão para isso. Todos somos iguais na condição de seres humanos. Evite julgamentos sobre a escolha alheia."

Universa