Topo

Universa

Google demite funcionário responsável por manifesto "antifeminista"

O escritório do Google em Mountain View, Califórnia - Getty Images
O escritório do Google em Mountain View, Califórnia Imagem: Getty Images

do UOL, em São Paulo

08/08/2017 15h11

O Google demitiu o engenheiro James Damore, autor do manifesto de 10 páginas com críticas às políticas de diversidade de gênero e etnia da empresa.

Em e-mail ao site "Bloomberg", ele confirmou que havia sido dispensado por "perpetuar estereótipos de gênero" e aproveitou para comentar que está, atualmente, explorando todas as suas alternativas legais. 

O documento publicado por James nas plataformas internas da empresa afirmava que o Google deveria valorizar mais a variedade de opiniões políticas entre seus funcionários do que o compromisso de ter uma boa distribuição de gêneros e etnias nas equipes. Ele ainda justifica que há poucas mulheres em posição de poder no mercado porque elas são mais neuróticas e têm "altos níveis de ansiedade e baixa tolerância ao estresse".

O CEO do Google, Sundar Pichai, divulgou sua nota aos funcionários "Nossas palavras importam" nesta segunda, dia 7, em que defendeu a posição da empresa:

Em trecho, Sundar afirma que "sugerir que um grupo de nossos colegas tenha traços que os tornam menos biologicamente capazes para trabalhar no Google é ofensivo e não é ok. Contradiz nossos valores mais básicos e nosso código de conduta". Danielle Brown, VP de diversidade da empresa, já havia defendido que "diversidade e inclusão são fundamentais para trabalhar no Google"

Mais Universa