PUBLICIDADE

Topo

Universa

Com Gabriel o Pensador na platéia, Redley mostra seu "inverno na ilha"

Tema do desfile foi inverno numa ilha - Publius Vergilius/UOL
Tema do desfile foi inverno numa ilha
Imagem: Publius Vergilius/UOL

CAROLINA VASONE<br>Enviada especial ao Rio<br>

10/01/2006 22h10

Flores, pinceladas aquareladas de tinta, aplicações, listras, xadrez e muita cor marcaram o desfile unissex da Redley, que fechou o segundo dia do Fashion Rio nesta terça (10).

O tema, um inverno numa ilha, apareceu com citações a cores e na estampa de flores mais exóticas, com predominância de rosa e verde no fundo cor de "areia molhada".

O tom de areia (dessa vez "seca", mais clara), aliás, abriu o desfile, que contou na platéia com celebridades como o músico Gabriel o Pensador. Na abertura da apresentação, um telão com imagens ao vivo da própria passarela duplicou o espaço por onde duas modelos abriram o desfile, ambas com peças em tom de areia.

Vestidos soltos como o de uma delas aparecem muito na coleção. Um deles tinha manguinhas bufantes e saia mais larga, sem nenhum franzido. O estilo cigana, no entanto, pontuou muitas das saias e vestidos do inverno 2006 da Redley.

Na coleção masculina, capas à la Chapeuzinho Vermelho ganharam versões em estampas como a de fundo branco com manchas de pincel esfregado azuis, além do floral. Bermudas ganharam uma sobreposição do mesmo tecido e padronagem apenas na parte de trás, como se fosse uma espécie de saia.

Casacos e capas, tanto masculinos como femininos, ganharam também um estampado floral grande, no fundo "areia molhado", com flores e folhas aplicadas. Florzinhas e bordados mais folclóricos também enfeitaram saias femininas, camisas e bermudas masculinas.

Para Mariana Rocha, consultora de moda do UOL, o desfile foi consistente, com proposta clara de moda numa coleção casual esportiva com informação de moda. "Com uma cartela de cores equilibrada, uma mistura rica de tecidos e bordados folclóricos, a descontração sofisticada da marca demonstra rigor estético e técnico", afirma.

Mesmo com a profusão de estampas e cores, do folclórico europeu nas saias bordadas ao militarismo dos casacos masculinos, a coleção é concisa e provoca desejo.

As únicas ressalvas de Mariana são as capas masculinas ("uma inovação que não deu certo") e as saias ciganas, que já foram muito vistas e usadas nas ruas.

Universa