PUBLICIDADE

Topo

Universa

Crianças com gene da obesidade 'não sabem a hora de parar de comer'

Os cientistas afirmaram que os efeitos do gene no apetite independem de idade, sexo ou IMC - Stock Images
Os cientistas afirmaram que os efeitos do gene no apetite independem de idade, sexo ou IMC
Imagem: Stock Images

28/07/2008 07h31

Um estudo conduzido por pesquisadores britânicos apontou que crianças com duas cópias do gene da obesidade têm mais dificuldades de saber a hora de parar de comer.

A equipe, do University College of London e do King's College, acompanhou 3 mil crianças entre 8 e 11 anos para avaliar o impacto do gene FTO - um dos primeiros a serem apontados como o vilão da obesidade - na queima de calorias e no apetite.

Os especialistas consideraram o tamanho, peso e circunferência da cintura das crianças e aplicaram um questionário aos pais com perguntas sobre o comportamento dos filhos durante as refeições.

Eles observaram que as crianças que carregam o gene FTO duplicado tendem a comer demais, e a apresentar dificuldades em perceber quando já estão satisfeitas.

Os cientistas afirmaram que os efeitos do gene no apetite independem de idade, sexo, condição sócio-econômica e índice de massa corporal.

Gene

Estudos anteriores mostraram que adultos com duas cópias do gene FTO estão, em média, 3 quilos acima do peso, enquanto os que carregam uma cópia do gene são, em geral, 1,5 quilo mais pesados.

A coordenadora da pesquisa, Jane Wardle, disse que as crianças com o gene FTO duplicado têm mais tendência a comer além do necessário.

"Essas pessoas são mais vulneráveis ao ritmo de vida moderno, que nos confronta com grandes porções de comida e várias oportunidades para comer o tempo todo", disse a pesquisadora.

A especialista ponderou que a ação do gene FTO isoladamente pode ser relativamente pequena.

"Muitos genes contribuem para a obesidade e o apetite. Cada um tem uma pequena parcela de culpa que, quando somadas, criam um efeito significativo."

A pesquisa britânica foi divulgada na publicação científica Clinical Endocrinology & Metabolism.

Universa