PUBLICIDADE

Topo

Universa

Homem pré-histórico 'executava rivais para ficar com mulheres'

03/06/2008 08h52

Homens pré-históricos matavam rivais de tribos vizinhas para ficar com suas mulheres, segundo um estudo da Universidade de Durham, na Grã-Bretanha, publicado na revista especializada Antiquity.

O estudo de esqueletos de 7 mil anos, encontrados em um "cemitério" pré-histórico em Talheim, na Alemanha, concluiu que um grupo de corpos enterrados consistia apenas de homens e crianças.

Segundo os cientistas, isso indica que as mulheres foram poupadas e sua captura pode ter sido o motivo para o ataque.

Os 34 esqueletos foram descobertos nos anos 80, mas novos estudos sobre os isótopos em seus dentes mostram que eles pertencem a três grupos - locais, criadores de gado e uma família consistindo de homem, mulher e duas crianças.

Todos os esqueletos têm marcas no lado esquerdo do crânio mostrando que eles foram atingidos na cabeça por um machado - segundo os pesquisadores, um sinal de que eles foram executados enquanto estavam amarrados.

Guerra entre tribos
Os cientistas concluíram que a ausência de mulheres locais significa que elas foram capturadas em vez de executadas.

Alex Bentley, do Departamento de Antropologia da Universidade de Durham, disse que "parece que esta comunidade era o alvo específico, como poderia ter ocorrido em um ciclo de vinganças entre dois grupos rivais".

"Apesar de recursos e população terem sido fatores, sem dúvida, na Europa central naquela época, as mulheres parecem ter sido a razão imediata para o ataque."

"Nossa análise aponta para as mulheres locais sendo vistas como especiais de alguma forma e, por conta disso, mantidas vivas."

"Parece uma guerra entre tribos em pequena escala", disse Bentley.
"É crucial para um grupo com uma pequena população ter acesso a parceiros sexuais", concluiu o cientista.

Universa