PUBLICIDADE

Topo

Universa

Índia dará incentivo a famílias que tiverem meninas

04/03/2008 11h19

O governo indiano anunciou na segunda-feira que vai oferecer ajuda financeira para famílias pobres que tiverem filhas meninas.

A medida é uma tentativa de conter a prática de abortos de fetos do sexo feminino, que chega a 500 mil por ano, segundo um estudo realizado em 2006 por pesquisadores indianos e canadenses.

De acordo com a secretária do departamento de mulheres e desenvolvimento infantil, Renuka Chowdhury, famílias de sete estados indianos vão receber benefícios de 15,5 mil rúpias (R$ 640) para educar as meninas.

O governo prevê ainda um incentivo extra de 100 mil rúpias (R$ 3,9 mil) para as famílias cujas filhas chegarem à idade de 18 anos com educação completa e solteiras.

O casamento infantil, um costume ainda praticado em várias regiões do país, também está sendo combatido pelo governo.

"Nós vamos pagar o dinheiro em etapas e vamos monitorar como elas serão educadas", disse Chowdhury. "Esperamos que isso (o benefício) force as famílias a olharem para suas filhas como um bem e não como uma obrigação e nos ajude a salvar milhares de vidas."

'Fardo'
As autoridades esperam que com a ajuda financeira até 100 mil vidas de meninas sejam preservadas todos os anos.

A medida do governo também teria sido motivada pela desproporção entre o número de nascimentos dos dois sexos. De acordo com um estudo realizado em 1991, na maioria dos países nascem mais meninas do que meninos.

Na Índia, no entanto, para cada mil meninos nasciam em 933 meninas. Em 2001, para cada mil meninos, 927 meninas vieram ao mundo.

Uma grande parcela da população indiana ainda vê as meninas como inferiores e um "fardo". A idéia seria um reflexo ainda do período em que o país era uma sociedade primordialmente agrária, na qual os meninos eram considerados mais aptos ao trabalho na lavoura.

Universa