PUBLICIDADE

Topo

Universa

DNA garante herança de US$ 40 mi a aposentada argentina

20/02/2008 11h22

A aposentada argentina Eva Paole, de 68 anos, recebeu nesta semana a notícia de que irá receber uma herança milionária depois que um exame de DNA confirmou que ela é filha de um fazendeiro morto há 25 anos.

Rufino Otero morreu em 1983 e, como não tinha herdeiros, sua fortuna - avaliada em US$ 41 milhões (R$ 71 milhões) - foi herdada pela viúva, Elisa Arenaz, que morreu sete anos mais tarde. A herança foi então deixada para o sobrinho, Sarasola Arenas, morto há um ano.

Paole conta que não suspeitava ser filha de Otero até nove anos atrás, quando um de seus filhos lhe contou ter ouvido fofocas de moradores da vila em que vivem, dizendo que ela era fruto de uma relação de sua mãe, que era empregada de Otero, com o patrão.

"Nunca soube que era filha de Otero até um dia que um dos meus filhos me contou que alguém havia comentado que era uma lástima eu e meus filhos trabalharmos tanto se eu era filha de Rufino Otero", disse Paole à BBC Mundo, serviço em espanhol da BBC.

"Ninguém nunca me contou, de certo pensavam que eu já sabia. Mas nem eu ou meus filhos sabíamos de nada. Antes não existia isso de DNA, um rico engravidava uma pobre e se escondia tudo", contou Paole.

A aposentada iniciou uma disputa judicial em 1999 para confirmar a paternidade e recebeu a comprovação apenas nesta semana.

Herança
O processo de reconhecimento levou tempo, pois quando a Justiça autorizou a exumação do corpo de Otero para realizar o exame de DNA, foi descoberto que o caixão havia sido violado e no lugar do fazendeiro, foi encontrado o corpo de uma mulher.

Por esta razão, o exame foi feito a partir do DNA recolhido do corpo da mãe do fazendeiro. O resultado comprovou, com 99,9% de compatibilidade, que Eva é filha legítima de Rufino Otero.

Paole, que recebia uma aposentadoria mensal de U$214 (R$371) afirmou à BBC Mundo que, para ela, o mais importante era saber sua identidade.

"Sabe o alívio de saber quem eu sou? Isso é o que mais me importava", disse Paole.

Conhecida pelos vizinhos como "Chacha", ela mora no vilarejo de General Acha, que tem apenas 12 mil habitantes, na região da província argentina de La Pampa.

Paole disse à BBC Mundo que não pretende mudar de casa e ainda não sabe o que irá fazer com o dinheiro, nem quanto irá receber.

A quantia que Eva Paole irá receber ainda é desconhecida, já que grande parte da fortuna já foi gasta pelos herdeiros anteriores.

Universa