PUBLICIDADE

Topo

Universa

Cientistas dos EUA criam cenoura enriquecida com cálcio

A cenoura geneticamente modificada poderá aumentar o consumo de cálcio - BBC
A cenoura geneticamente modificada poderá aumentar o consumo de cálcio
Imagem: BBC

15/01/2008 17h07

Cientistas dos Estados Unidos criaram uma cenoura geneticamente modificada enriquecida com cálcio.

Os pesquisadores do Colégio de Medicina da Universidade de Baylor, no Texas, afirmam que a pessoa que consome esta nova cenoura absorve uma quantidade de cálcio 41% maior do que no consumo de uma cenoura comum.

Mas a nova cenoura com cálcio ainda precisa passar por uma série de testes de segurança.

"Estas cenouras foram cultivadas em ambientes cuidadosamente monitorados e controlados. Serão necessárias mais pesquisas antes de colocar (o produto) à disposição dos consumidores", disse o professor Kendal Hirschi, que faz parte da equipe de pesquisa.

Os cientistas esperam que uma eventual dieta com o vegetal modificado possa ajudar na prevenção de problemas como a osteoporose.

A pesquisa foi publicada na revista especializada "Proceedings of the National Academy of Sciences".

Gene

A nova cenoura teve um de seus genes modificados, permitindo uma distribuição do cálcio contido no vegetal através das membranas da planta.

Esta não é a primeira vez que a cenoura é modificada. A cenoura atual, de cor laranja, é resultado de cultivos na Holanda, no século 17, quando fazendeiros nacionalistas transformaram o vegetal, que antes era roxo, para que ele passasse a ter a cor da bandeira do país.

Cientistas também estão usando a engenharia genética para desenvolver batatas com mais amido e menos água, para que elas absorvam menos óleo durante o processo de fritura.

Dietas

As cenouras enriquecidas com cálcio podem ser uma boa alternativa aos laticínios, que são as fontes primárias de cálcio. Algumas pessoas são alérgicas as estes produtos e outros ainda recebem a recomendação de evitar os laticínios devido à grande quantidade de gordura nestes alimentos.

"As pessoas recebem recomendações de comer de forma mais controlada para evitar o ganho de peso, e muitas dietas atualmente não fornecem tudo o que precisamos", disse Susan Fairweather-Tait, da Universidade de East Anglia, na Grã-Bretanha.

"Há muita oposição aos transgênicos, mas, aos poucos, estamos nos afastando da sombra dos 'alimentos Frankenstein' e começando a apreciar os benefícios que (estes vegetais) podem trazer à saúde", acrescentou.

Universa