PUBLICIDADE

Topo

Nina Lemos

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

"Não sou frouxo, não sou mulher". Sérgio Reis é tudo que Brasil não precisa

Cantor Sérgio Reis gravou áudio fazendo campanha contra o STF - Divulgação/Antonio Cruz/Agência Brasil via Wikimedia Commons
Cantor Sérgio Reis gravou áudio fazendo campanha contra o STF Imagem: Divulgação/Antonio Cruz/Agência Brasil via Wikimedia Commons
Conteúdo exclusivo para assinantes
Nina Lemos

Nina Lemos é jornalista e escritora e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance "A Ditadura da Moda".

Colunista do Universa

19/08/2021 16h11

"Não tenho medo de ser preso. Não sou frouxo. Não sou mulher". A frase foi dita pelo cantor Sérgio Reis em entrevista ao jornal "O Globo" publicada nesta quinta-feira (19). O cantor decidiu chamar todas nós, mulheres, de fracas, em uma entrevista onde explicou uma atitude "super máscula" e madura (contém ironia) que teve nos últimos dias. O destemido cantor gravou um áudio convidando caminhoneiros para uma greve no dia 7 de setembro pedindo a aprovação do voto impresso. No mesmo áudio, conclamou a invasão do supremo e do parlamento.

Tem realmente que ser muito "forte" e corajoso para gravar um áudio cheio de bravatas do estilo: "Se em 30 dias eles não tirarem aqueles caras (forma como Sérgio se refere aos ministros do STF), nós vamos invadir, quebrar tudo e tirar os caras na marra." Esse tipo de fala é bem comum entre homens machões do estilo do cantor. São aqueles que falam que enchem de porrada, que os outros "vão ver".

Só que a tosquice, de Sérgio Reis, não é sinal de força. Muito pelo contrário, Isso é o tipo de coisa que crianças de sete anos falam para os amiguinhos numa briga. "Se você não me devolver a bola, vou destruir sua cabana", dizem. Só que adultos não podem fazer esse tipo de ataque, que configura ameaça. E ameaça é crime. Tudo fica ainda mais sério, claro, quando se trata do parlamento e do supremo.

Talvez o cantor saiba que cometeu um crime. Prova disso é que nos dias seguintes à tal mensagem viralizar, familiares disseram que ele estava deprimido. Ele também deu declarações chorando e reclamou que estava perdendo trabalho. Ou seja, usando o vocabulário dos homens "machos" como Sérgio Reis, ele se vitimizou e fez mimimi.

E, para coroar a tosquice, agora resolveu falar que não é frouxo como as mulheres. A gente? Frouxa? É chato ter que explicar algo assim. Mas, só para dar um exemplo.

Segundo um levantamento de 2018, 45% dos lares brasileiros são comandados por mulheres. De acordo com o IBGE, cerca de 11,5 milhões de brasileiras são mãe solo. E sabe por quê? Porque os homens, esses "corajosos", fogem, saem correndo. Já as mulheres, bem, elas trabalham, educam os filhos e cuidam de todos. Fracas? Frouxas? Mesmo?

Esse tipo de comparação — que soaria machista até nos anos 50 — já foi usada pelo presidente da república, Jair Bolsonaro, que disse que sua filha teria sido uma "fraquejada".

Esse tipo de homem faz questão de bater no peito e falar que são machos. Enquanto nós somos fracas, frouxas, fraquejadas. Em que tempo e em que mundo esses homens vivem?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL