PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Morango

Contagem regressiva para o orgasmo: já ouviu falar em masturbação guiada?

"A masturbação guiada é ótima principalmente para casais que passam muito tempo longe um do outro", sugere a camgirl Aline Olavy - Arquivo Pessoal
"A masturbação guiada é ótima principalmente para casais que passam muito tempo longe um do outro", sugere a camgirl Aline Olavy Imagem: Arquivo Pessoal
Ana Angélica Martins Marques

Ana Angélica Martins Marques

https://universa.uol.com.br/colunas/morango

Ana Angélica Martins Marques, a Morango, é mineira de Uberlândia, jornalista, fotógrafa e DJ. É também autora do livro de contos Quebrando o Aquário. Passou pela décima edição do Big Brother Brasil e só foi eliminada porque transformou o temido quarto branco no maior cabaré que você respeita. É vegetariana e cuida de três filhos felinos: Lua, Dylan e Mike.

Colunista do UOL

08/11/2020 04h00

Uma nova modalidade de estímulo sexual tem feito a cabeça de homens e mulheres: o JOI porn. JOI é o acrônimo de Jerk-Off Instruction, ou masturbação guiada, em tradução livre. "Essa é uma técnica de relaxamento e prazer na qual a pessoa deixa que sua masturbação seja direcionada segundo estímulos verbais e/ou visuais", explica a camgirl Aline Olavy, 29, de Belo Horizonte.

Aline conta que inúmeras temáticas podem ser adotadas, mas o atrativo principal é a voz de comando. "Gosto de fazer contagem regressiva para o orgasmo, por exemplo." Popular no Instagram, com mais de 70 mil seguidores, a modelo cobra de R$ 50 a R$ 300 por vídeos de masturbação guiada.

Diversas plataformas oferecem esse tipo de conteúdo de graça. Até mesmo o YouTube, que tem uma política bastante conservadora. Lá, há vídeos guiando siriricas e punhetas com mais de 1 milhão de visualizações.

Morango 1 - Reprodução/Youtube - Reprodução/Youtube
No vídeo em que fala sobre punheta guiada, a pornstar Dread Hot atingiu mais de 1,2 milhão de visualizações no Youtube
Imagem: Reprodução/Youtube


O que faz as pessoas desembolsarem algumas centenas de reais por um vídeo de dez minutos, em média, é a exclusividade. Quanto mais personalizado, mais caro.

JOI x ASMR

Parece a mesma coisa, mas não é. ASMR (Autonomous Sensory Meridian Response) ou Resposta Sensorial Meridiana Autônoma é a forma como nosso corpo reage a estímulos sensoriais. E esses estímulos, principalmente auditivos e visuais, podem ser diversos e provocar relaxamento, sonolência e até excitação. Já os estímulos impulsionados pelo JOI são exclusivamente voltados ao prazer sexual.

Morango 2 - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
"A masturbação guiada apimenta a relação", diz Caleb, 28
Imagem: Arquivo Pessoal


Camboy há três anos, Caleb conta que as instruções do JOI são diferentes para homens e mulheres - que, aliás, são minoria como clientes em sites como o que ele trabalha, o Câmera Privê.

"A indústria pornográfica é muito voltada para os homens. Eles geralmente procuram coisas que não têm com suas parceiras em casa. Já as mulheres, elas preferem ser desejadas, ter uma conexão para tornar o momento mais prazeroso. Muitas não sentem tanto prazer em sexo casual, o que as leva a procurar um camboy ou até mesmo uma camgirl para sentir algo de novo, ter uma experiência inédita", revela o modelo de Curitiba.

Gozando pelo ouvido

"Desculpa, eu não tava mais prestando atenção no que você disse. Pode repetir? Quer dizer, nem repete, eu não vou conseguir prestar atenção. Eu tô vidrada na sua boca. Ahhhh... Tô imaginando a sua boca na minha. Nos meus lábios. Mmm... Não disse quais. Ahhhh... Ai, beijar meu pescoço é covardia... Ai, covardia... Aiiii, desse jeito eu já fico toda molhada. Ahhh..."

O trecho acima é de um áudio de um minuto interpretado por uma voz extremamente sensual e todo entremeado com suspiros e gemidos. E sim, é bem excitante. Ouvi duas vezes na conta @gozeimalu, no Instagram, criado pela atriz, cantora e preparadora corporal Malu Figueiras, 34.

"A sexualidade sempre foi algo muito relevante tanto na minha trajetória pessoal quanto artística, e sempre notei o quanto esse era um tema cheio de tabus, abordagens equivocadas e paradigmas a serem transformados", conta ela.

"Nem sempre consumi conteúdo erótico, e quase nunca curti o que consumia. Percebo que esse é o caso da maioria das mulheres também. Sinto que de tudo que eu tive acesso até então, ou eram coisas do mainstream do pornô tradicional, cheio de padronizações, objetificações e opressões de toda ordem, ou eram coisas caseiras muito precárias e até grotescas", conta Malu.

"Acho que o maior desafio em matéria de conteúdo erótico é criarmos algo ligado a ideia de sexualidade positiva, mais saudável e consciente, mas que ainda assim seja excitante e atrativo, capaz de realmente ser uma alternativa ao pornô tradicional e fazer as pessoas (especialmente os homens) repensarem de fato seu consumo", afirma.

Para quem nunca praticou a masturbação guiada, a dica da sex influencer é: experimente.

"Reserve um momento só pra você, escolha uma posição confortável, feche os olhos e fique em silêncio por alguns instantes. Respire fundo, abra sua mente, seus sentidos e sua pélvis-coração. Pegue seus fones de ouvido e deixe-se conduzir pelos estímulos externos, pela sua imaginação, pelos convites que seu próprio corpo te fará, e aproveite... O gozo (ainda) é livre!"

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL