PUBLICIDADE

Topo

Fabi Gomes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

De Gabi Martins a Gabi Prioli: o que aprendi com mulheres que entrevistei

Conteúdo exclusivo para assinantes
Fabiana Gomes

Fabi Gomes é maquiadora e bonne vivante ? gosta de das coisas boas da vida, como artes, literatura, sexo, cinema, culinária, viagens. Está sempre atenta ao poder transformador e aos rumos da beleza.

Colunista de Universa

20/07/2021 04h00

Imagina ter a chance de trocar ideia com algumas das mulheres mais importantes e de maior visibilidade do país? Preta Gil, Vera Magalhães, Vitória Strada, Erika Hilton, Gabriela Prioli, Tabata Amaral e tantas outras. Pois nos últimos tempos, o programa "E aí, Beleza?" tem me dado essa oportunidade. Eu e elas num papo franco e sem rodeios, a princípio, sobre beleza. Pera, pera, pera! Como assim "a princípio"? É o programa com uma maquiadora e não vão falar sobre beleza?

É claro que falamos. Nós, mulheres, fomos ensinadas a nos cuidar, a sermos belas. E, às vezes (ou seria melhor dizer muitas vezes?), acabamos até gostando disso. E, adivinhem, senhoras e senhoras? Um singelo papo sobre beleza pode nos levar por caminhos muito interessantes.

Em função da pandemia, temos gravado à distância, mas nosso objetivo é ter o cara a cara e o calor dos corpos presentes assim que possível. Desde a primeira temporada, o formato já passou por ligeiras mudanças. Mas, a nécessaire, os hábitos e a relação da convidada com beleza estão são sempre presentes e são temas garantidos. Da beleza, desdobramos pras ideias em relação à vida, podendo ou não envolver maternidade, carreira, amor, ideologias e crenças. Enfim, uma conversa.

O programa é editado, mas adoraria poder compartilhar com vocês as versões na íntegra. Em tempos de vídeos de 15 segundos como estandartes da comunicação, ter um de 30 minutos já parece ousadia. E, nesse contexto de relaxamento e papo solto, já passei por diversos momentos: surpresa, indignação, comoção, carinho, afeto. Que delícia observar e viver o poder da aliança entre beleza e escuta.

Saber de Preta Gil que, quando decidiu assumir sua inclinação pela carreira artística e pediu ajuda ao pai, Gilberto Gil, ele disse não. Escutar intimidades tão frágeis e sofridas como a perda de um irmão e de como isso a afetou.

Ter notícias de Carolina Ferraz sobre suas diferentes experiências com a gestação aos vinte e poucos anos e aos quarenta e seis. Sobre o inferno na Terra que os hormônios podem proporcionar e qual é o impacto deles pra vida de uma pessoa pública, da qual se esperam sempre lindas selfies, sorrisos ou deslizes que rendam notícias sensacionalistas.

O "E aí, Beleza?" ensina e surpreende sempre. Sim, houve vezes nas quais fui com uma ideia pré-concebida sobre a convidada. Com desejos de fazer perguntas que poderiam ser indigestas. Perguntas baseadas no que acho que sei daquela mulher. Ou no que ouvi falar sobre ela.

Mas qual o ponto desse encontro? Pavonear-me, tentando demonstrar minha suposta astúcia, nível de informação e poder provocativo? Hm, acho que não. Afinal, não é sobre mim, é sobre a convidada. Tô ali como puxadora de fios.

Sempre que sento em minha 'poltrona da beleza', faço esse libertador exercício da escuta. E mais: da escuta de mulheres. Somos ensinados a não escutar mulheres ou, em se escutando, julgá-las ferozmente. Então, aprendi a abrir essa escuta genuinamente interessada

E, ainda que conheça aquela mulher, faço de conta que estamos nos conhecendo naquele momento. Tento não supor, não interpretar e nem julgar. Sempre me coloco quase como uma criança, verdadeiramente interessada em saber "que mina é essa" e qual a relação dela com a vida e a beleza. Como é o dia a dia vivendo nessa pele?

Paula Fernandes me emocionou demais. Imagina uma menina que foi posta para cantar e performar desde os seis anos? Que se tornou esse ícone salvador da família. A criança prodígio e talentosa, que cresce com essa missão, conferida em forma de dádiva. E, vocês sabem, não pega bem recusar uma dádiva. Dela se espera tudo. Aí, quando ela amadurece e precisa "dar o nome" num show para milhares de pessoas, também se espera simpatia e atenção, que ela esteja sempre pronta para o outro. Sempre inteira, nenhum estilhaço é permitido.

E a Tabata Amaral? "Ah, é uma vendida", "traidora...", "como vocês podem dar espaço?". A gente não só dá espaço, como dá ouvidos. Nossa premissa é não dar palco pra negacionista ou discursos de ódio. Mas pro contraditório? Certamente, sim.

Interessante observar e vivenciar um programa que tem a beleza como fio condutor. Beleza, esse conceito que vem sendo debatido enquanto construção social. Ele pode servir como elemento disciplinador, de aprisionamento e congelamento de mulheres, mas também pode servir como elo discursivo e porta de entrada para interações impensadas, improváveis e profundas.

Dos arrepios que eu e equipe sentimos ao escutar a história e sentirmos a potência de Erika Hilton, aos risos e deslumbramento causados pela querida Bruna Lombardi, o "E aí, Beleza?" é uma verdadeira celebração às mulheres e suas histórias. Adoraria poder falar de uma a uma e do sentimento de amizade e cumplicidade que muitas despertaram em mim: Aline, Vera, Raquel, Thelminha, Manuela, Marcela, Fernanda, Karol, Thaynara... Quanta mulher foda!

Um brinde ao poder aglutinador, acolhedor e transformador da beleza da escuta! Às identificações e "desidentificações" proporcionadas pelos encontros. E como estamos carentes de encontros, não é mesmo?

"E aí, Beleza?": onde assistir

O "E aí, Beleza?" vai ao ar às quartas-feiras, às 19h, no canal de Universa no Youtube. Esta semana Fabi Gomes recebe a cantora e ex-bbb Gabi Martins. Nos próximos episódios desta segunda temporada do programa, as convidadas são a atriz Bruna Lombardi e cantora sertaneja Paula Fernandes. Não perca!

Quer conferir os programas da primeira e da segunda temporada? Clique aqui

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL