PUBLICIDADE

Topo

"A transição capilar me libertou", diz Thelminha sobre retomada dos cachos

De Universa

03/07/2021 04h00

Thelma Assis, médica e vencedora da vigésima edição do BBB, considera que a internet foi o lugar em que encontrou fontes de inspiração para enfrentar o processo de transição capilar, assumindo assim os fios naturais. Em entrevista à maquiadora Fabi Gomes no "E aí, Beleza", programa de Universa no Canal UOL, a ex-sister agradeceu as blogueiras negras que falam abertamente sobre o assunto.

É importante valorizarmos as influenciadoras negras, pretas, cacheadas que falaram 'vamos nos unir, nosso cabelo é bonito, sim'. A minha coragem para assumir o fio natural veio delas

Thelminha conta que alisava os cabelos desde os 12 anos, processo que considerava doloroso, por assistir às mulheres da família fazendo o mesmo. "A transição capilar foi um processo de libertação. Passei muito tempo da minha vida sem referências estéticas. Quando criança, eu não tinha, por exemplo, bonecas negras. A boneca bonita que eu tinha era loirinha do olho verde com cabelo liso. Minha mãe trançava minhas mechas. A gente aprendia que nosso cabelo solto não era bonito", afirma.

Com o tempo, munida de inspirações das redes sociais, Thelma assumiu os fios naturais. Ela destaca, porém, que este é um processo individual. "Não sou contra quem alisa o cabelo, porque o importante é a gente se sentir bem, olhar para o espelho e se identificar com aquilo", argumenta.

Para ela, o mercado de beleza está correndo atrás do prejuízo. A ex-sister acredita que o setor de produtos para cabelos crespos e cacheados está crescendo, oferecendo cada dia mais variedade de produtos para a mulher negra. Falando em maquiagem, ela avalia, os passos são mais lentos. "Na make ainda estamos caminhando, mas temos marcas que se preocupam com isso, que estudam o assunto, respeitam a diversidade", diz,

Está pensando em assumir os cachos? Assista ao "E aí, Beleza?" com Thelminha na íntegra:

Dicas para quem está vivendo a transição capilar

Ficou inspirada para começar? Então é hora de buscar referências e entender qual será o seu caminho no processo de transição capilar.

O corte dos fios é parte importante da transição, mas, para aquelas que não querem passar a tesoura de vez, no estilo big chop, a dica é remover as pontas lisas aos poucos, mês a mês.

Enquanto isso, vale variar as finalizações depois do banho. "Use um secador em temperatura baixa com difusor e creme para ativar as ondas", explica Jéssica Amaral, da Clínica dos Cachos, em São Paulo. Penteados também podem ajudar a dar forma aos fios. Torcidinhos e tranças, feitos com movimentos leves para não quebrar as mechas, são boas opções. Lenços, presilhas, faixas de tecido são bem-vindos.

Caso não abra mão de variar cor e comprimento, talvez seja o caso de tentar as laces, perucas realistas costuradas em tule que podem permanecer coladas à cabeça por até 15, 20 dias.

A última dica, mas não menos importante, é investir na hidratação do cabelo. Máscaras devolverão nutrientes e maciez aos fios, mas evite o uso de óleos pesados, como o de coco. Ativadores de ondas também são uma mão na roda — eles tratam enquanto permitem fitagens e outras finalizações.

Sobre o "E aí, Beleza?"

Os episódios do "E aí, Beleza?" vão ao ar sempre às quarta, às 20h, no Canal UOL. A maquiadora e colunista de Universa Fabi Gomes recebe mulheres de opinião e com trajetórias inspiradoras de diversas áreas, para falar sobre os desafios femininos no mercado de trabalho, maternidade, política feita por e para mulheres e ainda dá dicas de maquiagem.

No próximo programa, Fabi entrevistará a deputada federal Tabata Amaral.