PUBLICIDADE

Topo

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido
Seu cadastro foi concluído!
reinaldo-azevedo

Reinaldo Azevedo

mauricio-stycer

Mauricio Stycer

josias-de-souza

Josias de Souza

jamil-chade

Jamil Chade

Ana Canosa

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

O que esconde a expressão de alegria de uma mulher ao gozar?

oleg66/Getty Images/iStockphoto
Imagem: oleg66/Getty Images/iStockphoto
Conteúdo exclusivo para assinantes
Ana Canosa

Ana Canosa é psicóloga clínica, sexóloga, professora, escritora e comunicadora. Apresenta o podcast Sexoterapia, em Universa/UOL. Sendo há 28 anos testemunha das mais diferentes histórias afetivas, é categórica em afirmar que muitas vezes, só o amor não é suficiente. Fala de sexualidade desde que se entende por gente, unindo seus estudos acadêmicos com a experiência clínica e seu olhar de observação do mundo.

Colunista de Universa

21/05/2022 04h00

Há dez anos, em 2012, viralizou a série de vídeos série Hysterical literature, produzida pelo fotógrafo Clayton Cubitt. Nas imagens, atrizes pornô leem clássicos eróticos enquanto são estimuladas por vibradores sob a mesa (essa parte não é visível ao expectador). As reações são o ponto alto do trabalho que inspirou outras produções, inclusive brasileiras.

O autor se disse interessado "na batalha que o indivíduo tem entre mente e corpo...em como as culturas traçam uma linha divisória entre aceitável e proibido" e encontrei alguma polêmica sobre o fato de algumas protagonistas serem profissionais do sexo, o que não importa, já que nas sessões nenhuma delas esteve fingindo orgasmos, como frequentemente acontece nos filmes —sem contar o fato de que não só as atrizes que fingem orgasmos, certo?

Você deve saber quais são as reações físicas mais comuns, de uma mulher quando tem um orgasmo. E "Hysterical literature" é uma forte referência sobre a expressão de alegria de uma mulher (acho simplesmente maravilhoso o riso, mais contido de algumas, mais largo de outras), quando atingem o clímax e um bom exemplo sobre quais os caminhos a se percorrer para desfrutar de um orgasmo.

Todas as 11 personagens do Hysterical estão sendo estimuladas por um vibrador, esse nosso grande aliado. Não que você não possa ter um orgasmo só com um sussurro na orelha, ou estímulo nos mamilos, ou com a penetração vaginal ou anal.

O que acontece é que nesses casos a sua conexão física ao estímulo erótico é incrível, intensa e direta, fazendo com que você, assim como durante um sonho, deixe o canal aberto entre as sensações e o seu genital. O problema é que durante o sexo, nem sempre você está conectadíssima, ou na melhor posição sexual que favoreça um orgasmo...daí estimular o clitóris "encurta" esse processo, por ser um órgão "projetado" para isso.

Então, você tem dois caminhos: pode investir em práticas que levem seu corpo a uma conexão incrível, como o tantra, por exemplo ou mesmo a prática do pompoarismo, ou simplesmente estimular o clitóris, antes, durante ou depois da penetração, com a mão, boca ou vibrador, até que chegue ao orgasmo. Pode também mesclar as duas coisas, usufruindo das várias possibilidades que temos.

Sexoterapia recebe Negra Li: 'Solteira e com a libido lá em cima tive que me satisfazer"

Assim como as mulheres que participaram das sessões de "Hysterical literature" se apropriam do próprio corpo, de sua identidade, de sua preferência literária erótica para exibirem ao mundo suas reações, um bom grau de liberdade é necessário para sentir prazer.

Esqueça qualquer citação ou ideia que associe prazer sexual feminino a "coisa feia", "suja", "pecaminosa", "doentia"; que faça uma ligação direta com o homem, do tipo "o homem é que deve me dar prazer" ou que divida mulheres em dois grupos: o das puras e das impuras. Seu corpo, seu desejo, seu orgasmo.

Mantenha o foco no erotismo

Uma das coisas que mais atrapalham a excitação é ter em mente outra coisa que não seja sexo, do tipo "amanhã tenho que acordar às 6hs". Sim, nem sempre o tesão está nas alturas, nem sempre a parceria olha para você com o olhar mais sedutor e desejante do mundo, as vezes você começou sem muita vontade, quem sabe esteja preocupada que seu filho possa acordar!

Por isso, se a cena sexual não parece muito inspiradora, ative suas cenas eróticas preferidas, vividas ou não, na sua mente, sem medo de ser feliz ou de estar "traindo" a parceria.

Fantasias sexuais são um vasto arsenal de desejos inconscientes, que se apropriam de cenas já vistas em algum lugar para dar uma cara decifrável, para o que nem sempre o é. Assim como na masturbação, onde você sozinha pode ler um conto erótico, ver uma imagem ou filme, ou simplesmente divagar pelos meandros do seu desejo, durante uma transa a dois esses "recolhimentos" no próprio universo é muito importante para se manter focar nas sensações.

Reconheça as sensações genitais e corporais

Eu costumo brincar que um orgasmo é como um espirro na "área de lazer": você começa com aquela sensação de acúmulo de algo que irá extravasar logo, logo...o desejo de espirrar vai aumentando, aumentando até que você consegue, com alívio, descarregar a tensão!

A diferença está na intensidade de prazer, que é muitíssimo maior, tanto na excitação (acúmulo de tensão sexual), quanto no orgasmo. Essa descarga de tensão prazerosa é acompanhada de contrações involuntárias da musculatura que envolve os nossos órgãos genitais, maior lubrificação e sensação de bem-estar e relaxamento, além de alguns outros sinais.

Veja os vídeos e repare na respiração das mulheres, o momento em que elas não consegues mais se conectar a leitura, da reação das mãos.

Lembrando que assim como orgasmos, nada mais incômodo do que um "espirro embutido", aquele que não aconteceu (pois é, rola de vez em quando!!) e assim como espirros, há dias em que você tem um orgasmões e noutro, um orgasminho...

O importante é não encanar se está dentro de algum padrão de normalidade e seguir rindo a toa. Pois como bem disse Alice Ruiz: "Quem ri quando goza é poesia até quando é prosa".