PUBLICIDADE

Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Simone diz que não se gosta 'acima do peso': eu te entendo, coleguinha

Simone assume dificuldade em aceitar corpo quando ganha peso - Reprodução: Instagram
Simone assume dificuldade em aceitar corpo quando ganha peso Imagem: Reprodução: Instagram
Vanessa Musskopf

Vanessa Musskopf

Jornalista, 37 anos, já fez sucesso na pegada fitness com o blog ?Santa Dieta?. Deu uma guinada na vida e nos conteúdos depois de ser diagnosticada com transtorno alimentar e depressão. Hoje, fala sobre autoestima e bodypositive em suas redes.

Colaboração para o UOL

10/10/2021 14h10

Simone, da dupla com Simaria, respondeu na sexta-feira (8) a uma seguidora do Instagram que perguntou: "Como se aceita gordinha? Tenho essa dificuldade". A cantora disse: "Vou falar por mim. Eu não gosto quando estou muito acima do peso. Tem gente que se ama estando acima do peso. [...] Você poderia procurar vídeos de pessoas que se gostam da forma que são. Acho que poderia te ajudar".

Eu te entendo muito, coleguinha.

Durante décadas, estive nesse mesmo lugar em que eu também odiava meu corpo. A minha história de insatisfação com a aparência e de ciclos ininterruptos de dietas e "efeito sanfona" começou ainda na adolescência. E, nesse tempo todo, eu paguei um preço muito alto, não apenas financeiramente, gastando muito dinheiro com tratamentos e produtos (claramente duvidosos!), mas também um preço alto para a minha saúde física e mental.

Estar nesse ciclo de luta contra o corpo é extremamente desgastante. Afinal, quando a gente vai poder finalmente se sentir bonita se os padrões mudam a cada semana?

Lembro que quando eu tinha 20 e poucos anos, a moda era ter seios fartos. Insatisfeita com minha aparência, fui atrás de um cirurgião para colocar silicone e, finalmente poder ser "feliz". Minha família apoiou sem nem questionar. O mais louco desse processo é que, para eles, era tabu fazer tatuagem, mas uma cirurgia com anestesia geral, cujas consequências poderiam custar a vida, isso era totalmente aceitável.

E é por isso que me entristece ver que você, Simone, e tantas outras pessoas não gostam dos seus corpos e ainda sofrem para se encaixar em um padrão.

Mas deixa eu te contar: a vergonha que você sente do seu corpo não é uma fraqueza sua. E o que você acha que é uma preferência é, na verdade, uma ideia diretamente afetada pelo que nos disseram que deveríamos achar bonito.

Simone fala sobre aceitação no Instagram - Reprodução: Instagram - Reprodução: Instagram
Simone fala sobre aceitação no Instagram
Imagem: Reprodução: Instagram

Dentro do sistema capitalista e das diferentes culturas, existem algumas lentes através das quais a gente enxerga o mundo. O problema é que algumas dessas lentes estão embaçadas por preconceitos. E alguns deles parecem inerentes, porque afetam nossa experiência de pertencer e nosso status social. Por isso, os rotulamos como preferências.

Muitos de nós sequer estão conscientes de como o sistema funciona. Não aprendemos na escola sobre patriarcado, capacitismo, gordofobia, papéis de gênero. E é difícil identificar as formas como esse poder existe e impacta nossas vidas. Portanto, como podemos alegar ter preferências em torno de um tipo de corpo quando estamos enxergando o mundo com essa lente que considera apenas o corpo magro como digno de amor, respeito e admiração?

Pois é. Só que existem outros corpos que também são dignos disso tudo. E como fazer para sair dessa Matrix, então? Cada pessoa tem seu caminho, não existe uma receita de bolo (pode ser low carb se você preferir!) igual para todos, mas o meu percurso passou longe das academias e das clínicas estéticas.

Fui para a terapia. E lá, a primeira coisa que eu fiz foi tentar me responder: "Você realmente não gosta do seu corpo ou você nunca aprendeu a gostar dele, porque alguém —seja a família, os amigos ou a mídia— te disse que ele é feio, errado ou que poderia melhorar?".

Faça essa pergunta para você mesma. E observe de onde vem a sua insatisfação.

Minha esperança é que a gente consiga, a partir dessa resposta, se olhar com mais carinho e entender que a felicidade não vem de um certo tipo de corpo, mas sim de se permitir ser feliz AGORA.

* Vanessa Musskopf, 37 anos, é jornalista e já fez sucesso na pegada fitness com o blog "Santa Dieta". Deu uma guinada na vida e nos conteúdos depois de ser diagnosticada com transtorno alimentar e depressão. Hoje fala sobre autoestima e bodypositive em suas redes.