Topo

Marte teve a química certa para a origem da vida, mostra meteorito

Meteorito de 700 milhões de anos guarda concentração de boro (veias, no detalhe), elemento-chave para a formação do RNA - UHNAI
Meteorito de 700 milhões de anos guarda concentração de boro (veias, no detalhe), elemento-chave para a formação do RNA Imagem: UHNAI

Do UOL, em São Paulo

17/06/2013 06h00

Enquanto a vida começava aqui na Terra, Marte abrigou um elemento-chave para criar um dos blocos de construção da vida molecular, sugere um novo estudo de cientistas ligados à Nasa (Agência Espacial Norte-Americana).

Infográfico

  • Veja até onde o homem chegou no espaço

Equipe do Instituto de Astrobiologia da Universidade do Havaí, em Manoa, analisou um meteorito de Marte e encontrou uma alta concentração de boro. Quando essa substância está oxidada e vira o borato, ela passa a desempenhar um papel fundamental na formação do RNA.

"Boratos foram importantes para a origem da Terra, porque eles podem estabilizar a ribose [açúcar], um componente crucial do RNA – o precursor da informação do DNA", enfatiza o biólogo evolucionista James Stephenson, que liderou a pesquisa.

O RNA é responsável, hoje, pela síntese das proteínas nas células, mas cientistas afirmam que esse ácido nucleico pode ter criado uma forma rudimentar de informação genética quando o nosso planeta era apenas um ambiente oceânico.

A análise química no meteorito, que foi achado na Antártida em 2009, revelou veios de argilas que guardavam até dez vezes mais boro do que já fora medido em outros objetos extraterrestres. Isso significa que o planeta vermelho teve a química certa para dar origem à vida, afirma o grupo.

Vida fora da Terra

Como os cientistas ainda não sabem como a vida se formou por aqui, eles procuram por características essenciais para sua existência, como água líquida, carbono, nitrogênio, fósforo e enxofre, além de temperatura média e atmosfera adequadas em outros planetas.

Na semana passada, a Nasa divulgou que a sonda Opportunity encontrou amostras de barro formado em água potável, um ambiente potencialmente adequado para que a química da vida primitiva se desenvolva, após análise em uma das rochas mais antigas de Marte. 

Além disso, o Curiosity, que está em Marte desde agosto de 2012, encontrou vestígios de que pode ter existido vida microbiana fora da Terra. O jipe-robô identificou alguns dos ingredientes químicos essenciais para a vida, como enxofre, nitrogênio, hidrogênio, oxigênio, fósforo e carbono, nas amostras de pó coletadas na rocha John Klein, na Cratera Gale, no primeiro trimestre de 2013.

Mais Tilt