Ericsson vence Nokia em oferta de rede Open RAN para AT&T nos EUA

Por Supantha Mukherjee

ESTOCOLMO (Reuters) - A operadora norte-americana de telecomunicações AT&T escolheu a Ericsson para construir uma rede que usa uma nova tecnologia de redução de custos, a ORAN, que cobrirá 70% de seu tráfego de telefonia móvel nos Estados Unidos até o final de 2026.

O acordo de 14 bilhões de dólares, com duração de cinco anos, aumentará a participação da Ericsson em uma das maiores empresas de telecomunicações do mundo e reduzirá a presença da rival Nokia no mercado norte-americano.

As ações da Ericsson subiram 9% e estavam a caminho de seu melhor dia em anos nesta terça-feira, liderando o índice STOXX 600 pan-europeu. As ações da Nokia caíram 8% nesta sessão, após o anúncio da AT&T no final da segunda-feira.

A ORAN, ou rede de acesso de rádio aberta, promete cortes profundos nos custos para as operadoras de telecomunicações, pois utiliza software baseado em computação em nuvem e equipamentos de múltiplos fornecedores, em vez de depender apenas de equipamentos proprietários fornecidos por empresas como Nokia, Ericsson e Huawei que não conversam entre si.

Embora provedores de telecomunicações como a Telefónica e a Vodafone tenham testado a tecnologia, a adoção em massa tem sido lenta. As novas redes da Dish e da japonesa Rakuten usam o Open RAN.

A AT&T vem analisando o Open RAN há seis meses com uma equipe de centenas de pessoas, disse um executivo, e analisou vários fornecedores e solicitou propostas.

"Todos os novos equipamentos que lançaremos serão compatíveis com o Open RAN", disse Chris Sambar, vice-presidente executivo de rede da AT&T, à Reuters.

A Nokia disse que a receita da AT&T, que representava de 5% a 8% de sua unidade de redes móveis, diminuirá nos próximos dois a três anos.

Continua após a publicidade

A empresa finlandesa espera que a unidade permaneça lucrativa nos próximos anos, mas isso atrasaria em até dois anos o cronograma de obtenção de uma margem operacional de dois dígitos.

"Apesar da perda do contrato, a Nokia ainda terá vendas para a AT&T em outras áreas, portanto, não é um relacionamento completamente rompido", disse Mads Lindegaard Rosendal, analista do Danske Bank Credit Research.

Em 2020, a Nokia também sofreu um revés quando a Samsung ganhou um contrato de 6,64 bilhões de dólares para fornecer equipamentos 5G para a operadora Verizon nos EUA.

O Open RAN tem enfrentado dificuldades, pois os principais fornecedores de equipamentos para telecomunicações resistem em abrir suas interfaces proprietárias para outras empresas por medo de perder negócios.

A Ericsson concordou em abrir essas interfaces em toda a sua área de cobertura, disse Sambar.

"É preciso dar a eles algo que realmente desejam e, em troca, vamos obter algo que não só a AT&T, mas todo o setor deseja", disse ele.

Continua após a publicidade

A AT&T ainda terá contratos com outros fornecedores fora desse acordo.

A AT&T espera que os sites Open RAN totalmente integrados operem em coordenação com a Ericsson e a Fujitsu, a partir de 2024. Em 2025, a rede da empresa também contará com equipamentos de fornecedores como Corning, Dell Technologies e Intel.

"Este não é um teste. Somos nós e nosso parceiro apostando 100% nisso, por isso acreditamos que isso realmente mudará o setor", disse Sambar.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes