Topo

Assassinato de universitária faz Uber rever políticas de segurança

Jovem foi morta nos Estados Unidos após pedir Uber e entrar em carro errado - Reprodução
Jovem foi morta nos Estados Unidos após pedir Uber e entrar em carro errado Imagem: Reprodução

18/04/2019 16h34

Resumo da notícia

  • Estudante morreu nos Estados Unidos após pedir Uber e entrar em carro errado
  • Caso fez a Uber mudar sua política de segurança e forçar passageiro a checar motorista
  • Novidade será lançada primeiramente nos Estados Unidos

A Uber disse que está lançando novos recursos de segurança para ajudar os passageiros a evitar falsos motoristas, duas semanas após o assassinato de uma estudante universitária que entrou no carro de seu assassino acreditando que era seu motorista.

Os recursos incluem etapas para identificar o carro certo e uma notificação para lembrar os passageiros disso antes do carro chegar, disse a empresa em seu blog nesta quinta-feira.

As novidades serão lançados em Columbia e na Carolina do Sul nesta quinta-feira (18) e serão lançadas no restante dos Estados Unidos em poucos dias.

A vítima de 21 anos, Samantha Josephson, era uma estudante universitária da Carolina do Sul.

"Tapa na cara dos machistas": ela é a motorista da Uber mais bem avaliada no RJ

Leia mais

Em julho de 2017, a Uber lançou uma campanha de conscientização pública contra fraudes e de como os passageiros podem evitar entrar no carro errado, sugerindo que eles verifiquem o aplicativo para garantir que o carro corresponda ao carro reservado.

A empresa também planeja lançar uma nova ferramenta para as universidades prestarem serviços aos estudantes em horários anormais, quando outras opções de transportes são limitadas. O programa piloto começará com a Universidade da Carolina do Sul, enquanto outras universidades poderão se inscrever.

"Também estamos lançando uma campanha de conscientização nas mídias sociais, e estamos colocando anúncios em jornais da faculdade e em outdoors perto de distritos de entretenimento em todo o país para educar os alunos sobre esses passos", disse a Uber.

Vou de app! Na briga com o Uber, os táxis não morreram

Confira o especial

Transporte