iPhone 15 mata tipo de recarga usado há 11 anos e mira em foto profissional

Após acompanhar o evento de lançamento da linha de smartphones da Apple nesta terça-feira (12), Tilt experimentou rapidamente os novos iPhone 15, iPhone 15 Plus, iPhone 15 Pro e iPhone 15 Pro Max. A partir das primeiras impressões sobre os telefones, o que dá para antecipar é que:

Ao ganhar recursos exclusivos da linha Pro da geração passada, como a nova câmera de 48 MP de resolução e o entalhe diferentão, a chamada ilha dinâmica, os iPhones 15 e 15 Plus ganharam em termos de custo-benefício.

A sensação que fica ao conhecer os iPhones 15 Pro e Pro Max é que a Apple quer convencer os consumidores com recursos de câmeras que fotógrafos profissionais usam. Ela até diz que é como se o celular tivesse 7 lentes.

Ainda não há data para os modelos chegarem ao Brasil, mas os preços divulgados foram os seguintes:

  • iPhone 15: a partir de R$ 7.299
  • iPhone 15 Plus: a partir de R$ 8.299
  • iPhone 15 Pro: a partir de R$ 9.299
  • iPhone 15 Pro Max: a partir de R$ 10.999

5 recursos das quatro versões do iPhone 15

Detalhe da entrada USB-C no iPhone 15 Pro Max
Detalhe da entrada USB-C no iPhone 15 Pro Max Imagem: Bruna Souza Cruz

Tamanhos de tela seguem o padrão da geração anterior: cada linha possui um modelo de 6,1 polegadas (15 e 15 Pro) e outro com 6,7 polegadas (15 Plus e 15 Pro Max).

Porta USB-C para recarga da bateria, transferência de dados, imagens e áudios: o fim da porta Lightning, presente nos celulares da Apple desde o iPhone 5, lançado em 2012, marca uma das maiores mudanças no smartphone da Apple nos últimos anos.

Continua após a publicidade

E o que que isso significa na prática? Com um único cabo, a pessoa conseguirá recarregar vários aparelhos, tanto da Apple quanto de outras empresas.

iPhone 15 Pro e 15 Pro Max foram lançados na sede da Apple em Cupertino, Califórnia (EUA)
iPhone 15 Pro e 15 Pro Max foram lançados na sede da Apple em Cupertino, Califórnia (EUA) Imagem: Bruna Souza Cruz/UOL

É bom lembrar que somente a Apple trabalhava com a porta Lightning. Ou seja, o cabo ficava limitado apenas a produtos de marca. Do ponto de vista do consumidor, a mudança será mais prática e tende a fazer a pessoa gastar menos com a compra de novos cabos.

Ilha dinâmica: o entalhe tradicionalmente estático em formato retangular foi repaginado a partir do iPhone 14 Pro e iPhone 14 Pro Max. Com a Ilha Dinâmica, notificações são exibidas no topo da tela e dá para acionar comandos de alguns aplicativos, como os de música, mapas, alarme, entre outros.

É interessante que essa novidade chegue aos iPhones 15 e 15 Plus por levar aos modelos recursos exclusivos da linha mais avançada e cara. Não é uma função que convenceria você a comprar um novo iPhone, mas saber que ela está presente faz o conjunto final pular de nível.

Uso de componentes mais sustentáveis: a carcaça dos aparelhos é feita com 75% de alumínio reciclado. Além disso, 100% do cobalto das bateria é reciclado, assim como algumas peças também são feitas integralmente de cobre reciclado.

Continua após a publicidade

iPhone 15 e iPhone 15 Plus

iPhone 15 rosa
iPhone 15 rosa Imagem: Bruna Souza Cruz/UOL

Cores alegres: essa linha é a mais colorida do ano. É possível comprar um iPhone azul, verde, amarelo, preto e, finalmente para alguns fãs, uma versão rosa — e é bem mais rosa mesmo, diferentemente de outras gerações, como a do iPhone 13, que a cor era super clara. Com exceção do preto, os tons das novas cores dão uma ideia de leveza aos celulares.

Câmeras com recursos mais profissionais: a linha tem duas câmeras principais, mas é possível capturar imagens em três formatos diferentes:

  • 0,5x: amplia o campo de visão e mais gente cabe na foto, por exemplo.
  • 1x: é o formato padrão de captura de fotos com a lente principal.
  • 2x: focada em imagens aproximadas, é um novo zoom integrado aos modelos de câmera dupla.
"É como se tivesse uma terceira câmera", diz a Apple em seu material de divulgação.
Continua após a publicidade

Ter uma lente que faz fotos com 48 MP —até então exclusiva do iPhone 14 Pro e 14 Pro Max— é mais um ponto chave para quem quer versatilidade, maior qualidade nas fotos e não tem interesse em pagar o preço dos telefones mais caros da Apple (o 15 Pro Max custa a partir de R$ 10.999).

Na hora de fazer o registro, o celular oferece mais detalhes na imagem. Ao dar zoom na foto tirada, é possível ver muito mais elementos da cena.

Um outro recurso herdado da linha mais cara é o modo retrato com efeito desfoque do fundo mais inteligente. Ao reconhecer automaticamente quando há mais de uma pessoa na cena, o celular leva segundos para coloca a pessoa em destaque no primeiro plano e desfocar o resto ao redor. Isso funciona também com cachorros e gatos.

Caso você não goste do resultado, é possível mudar o nível de desfoque manualmente dentro das configurações do celular. Dá também para escolher quem ficará em destaque na foto com um simples toque.

Processador de 2022: os dois celulares usam o processador A16 Bionic, lançado no ano passado também com o iPhone 14 Pro. É o segundo ano em que a Apple escalona entre suas linhas chips desenvolvidos em diferentes anos.

Bateria: ainda que não tenha havido mudanças nos números, a empresa da maçã afirma que ela dura o dia todo —saberemos se isso é verdade quando testarmos os aparelhos.

Continua após a publicidade

Tela mais brilhante: não foi possível perceber grande diferença na qualidade do brilho da tela, ainda que a Apple tenha adotado um pico de brilho de 2.000 nits (unidade de medida de intensidade luminosa) em ambiente externo, algo que o iPhone 14 não tinha.

iPhone 15 Pro e iPhone 15 Pro Max

iPhone 15 Pro e 15 Pro Max durante o lançamento da Apple em Cupertino, Califórnia (EUA)
iPhone 15 Pro e 15 Pro Max durante o lançamento da Apple em Cupertino, Califórnia (EUA) Imagem: Bruna Souza Cruz/UOL

Cores mais sóbrias: titânio natural, titânio azul, titânio branco e titânio preto.

Botão de ação: o botão que servia para colocar o celular no modo silencioso ficou mais útil. Agora, funciona como centralizador de diferentes ações, como ligar a lanterna, tirar selfie ou começar a gravar um vídeo. É só programá-lo dentro dos ajustes do celular.

iPhones 15 Pro (dir) e iPhone 15 Pro Max (esq) em mãos
iPhones 15 Pro (dir) e iPhone 15 Pro Max (esq) em mãos Imagem: Bruna Souza Cruz
Continua após a publicidade

Testei o recurso duas vezes e é muito simples de configurar. Ele aceita comandos como apertar uma vez para algo acontecer ou pressionar por poucos segundos para disparar outra ação.

Câmeras com recursos mais profissionais: a versão iPhone 15 Pro Max ganhou mais capacidade de zoom óptico - que não depende do sistema de processamento de imagens do telefone. Agora ele é de 5 vezes, o que é maior que a geração de iPhones de 2022 (3x). Não dá para saber se as fotos da Lua ficarão mais bonitas (como a concorrência já consegue fazer), mas certamente dará novas opções de cliques às distância.

A câmera principal permite ainda que os usuários naveguem facilmente entre três diferentes lentes, de 24 mm, 28 mm e 35 mm.

Nova estrutura de borda feita de titânio: uma das propostas é tornar o celular mais leve —e a Apple conseguiu.

Nos minutos em que pude segurar os aparelhos, senti uma boa diferença de peso ao comparar o iPhone 14 Pro com o iPhone 15 Pro, mais leve. Pelas especificações técnicas, o primeiro tem 206 gramas e o segundo, 187 gramas. Definitivamente vai agradar os futuros compradores. Além disso, o toque do titânio é diferente, pois transmite leveza e maciez.

Processador de 2023: a Apple promete ainda mais eficiência com o novo chip A17 Pro, que possui 19 bilhões de transistores.

Continua após a publicidade

Com o A17, as transferências via USB-C serão três vezes mais rápidas para dar conta de grandes arquivos, como vídeos em 4K, de acordo com a companhia.

Bateria: outro recurso que não sofreu mudanças, mas que, segundo a Apple, permite ao iPhone 15 Pro rodar até 20h de vídeos de streaming direto —mesmo tempo do iPhone 14 Pro.

Imagens feitas para os óculos de realidade mista: o conjunto de câmeras da linha 15 Pro irá ajudar a capturar vídeos que poderão ser vistos com o Apple Vision Pro. Na prática, os Vídeos Espaciais são imagens tridimensionais.

*A jornalista viajou a convite da Apple

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes