PUBLICIDADE
Topo

Terra está esfriando rapidamente e pode ficar estéril como Marte

Cientistas temem que planeta Terra perca toda sua água e vida, e fique estéril como Marte - Tripulação da Apollo 17/Nasa
Cientistas temem que planeta Terra perca toda sua água e vida, e fique estéril como Marte Imagem: Tripulação da Apollo 17/Nasa

Mateus Omena

Colaboração para Tilt, em São Paulo

19/01/2022 11h09

A Terra pode um dia se tornar semelhante a Marte, caso a temperatura central do planeta esfrie a um ritmo mais rápido do que o previsto, declaram os especialistas.

Uma equipe de cientistas da universidade ETH Zurique, na Suíça, descobriu que a temperatura da Terra está enfraquecendo 50% mais rapidamente do que o imaginado originalmente. O estudo concluiu que o planeta pode acabar se tornando estéril, em condições semelhantes às de Marte ou Mercúrio.

Para chegar a esse resultado, os pesquisadores usaram equipamentos de medição, como sismógrafos (aparelhos que registram os movimentos do solo), para entender o que está acontecendo a quilômetros abaixo da superfície. Eles recriaram as temperaturas, pressão e condições encontradas na fronteira entre o núcleo da Terra e o manto em um laboratório. Dentro dessa simulação, testaram como a bridgmanita, mineral mais comum encontrado por lá, transfere calor.

Os cientistas dizem que sua pesquisa questiona em qual incidência o nosso planeta está esfriando, mas ainda assim, não se pode estimar quanto tempo levará até atingir um ponto sem retorno. Mesmo assim, os resultados mostraram que a Terra foi capaz de irradiar tanto calor que estava esfriando numa velocidade preocupante.

No caso de Marte, os cientistas acreditam que o planeta vermelho já se parecia muito com a Terra, mas ficou desprovido de sua abundância de água e oceanos bilhões de anos atrás, antes de perder seu campo magnético no início de sua vida. E, em seguida, sua atmosfera enfraqueceu.

Em entrevista ao Science Alert, o professor e cientista planetário Motohiko Murakami, líder da equipe responsável por esse estudo, explica que esses experimentos podem trazer mais informações sobre como a Terra está em constante transformação. "Nossos resultados podem nos dar uma nova perspectiva sobre a evolução da dinâmica da Terra. Eles sugerem que a Terra, como os outros planetas rochosos, Mercúrio e Marte, está esfriando e se tornando inativo muito mais rápido do que o esperado".

O que acontece se a Terra esfriar?

Missão Tianwen 1 em território de Marte. - Divulgação/CNSA - Divulgação/CNSA
Missão Tianwen 1 em território de Marte.
Imagem: Divulgação/CNSA

A razão pela qual esse fenômeno é motivo de preocupação para os especialistas é que o magma sob a crosta terrestre desempenha um papel vital em nossa posição em órbita ao redor do Sol.

Há 4,6 bilhões de anos, a Terra era extremamente quente. Um mar de magma ou lava cobriu a superfície. Depois de muito tempo, a Terra começou a esfriar e esse processo continuou. Se os métodos radioativos do núcleo interno que geram calor terminassem, várias coisas aconteceriam. O núcleo externo líquido de lava quente derretida da Terra solidificaria e pararia de fluir.

Quando isso acontecer, o campo magnético da Terra morrerá. Continentes em placas tectônicas que costumavam flutuar nesse magma líquido parariam. Sem um campo magnético, o vento solar atingiria o planeta facilmente e enfraqueceria a atmosfera, além de inviabilizar todas as suas formas de vida. Como Marte antes, a Terra perderia toda a água e toda a vida.

Os especialistas acreditam que este processo deve levar bilhões de anos. Alguns cálculos dizem que a Terra esfriará em dezenas de bilhões de anos, muito depois que o Sol se extinguir e morrer, mas as estimativas para isso acontecer variam de dois a nove bilhões de anos a partir de agora.