PUBLICIDADE
Topo

Estranho sinal de rádio detectado no espaço vira mistério para cientistas

Mistérios do Universo podem ser esclarecidos com auxílio de instrumentos como radiotelescópio - Getty Images/iStockphoto
Mistérios do Universo podem ser esclarecidos com auxílio de instrumentos como radiotelescópio Imagem: Getty Images/iStockphoto

Abinoan Santiago

Colaboração para Tilt, em Florianópolis

15/10/2021 17h01Atualizada em 16/10/2021 13h16

Um sinal de rádio incomum no espaço chamou atenção de cientistas, que tentam descobrir o que gerou as ondas captadas por um radiotelescópio na Austrália.

De acordo com o estudo, publicado pela revista científica The Astrophysical Journal, o sinal piscava e apagava, além de ficar 100 vezes mais claro e ou mais escuro ao longo do tempo de observação, que durou duas semanas.

O sinal foi detectado próximo ao centro da Via Láctea no início de 2020 e tinha como característica de ser polarizado circular, que é o formato em espiral.

Segundo os pesquisadores, o sinal captado pelo radiotelescópio ASKAP (Australian Square Kilometer Array Pathfinder Telescope) não foi encontrado por outros ao redor do mundo e do espaço, o que gera o mistério. A observação fez parte de um projeto VAST (Variáveis e Transientes Lentos), apoiado pela Universidade de Sidney.

Os cientistas dizem no estudo que a maioria das observações da astronomia no espaço é de objetos estáveis que não costumam mudar ao longo dos anos em termos de escala de tempo humana.

Sinal foi captado próximo ao centro da Via Láctea - Reprodução - Reprodução
Sinal foi captado próximo ao centro da Via Láctea
Imagem: Reprodução

No caso do sinal misterioso de agora, a radiação é considerada o que eles chamam de transientes — objetos que mudam, aparecem ou desaparecem — geralmente oriundos de eventos anteriores no Universo, a exemplo da explosão de uma estrela.

O sinal polarizado, chamado de "ASKAP J173608.2-321635" começou invisível, tornou-se brilhante, desbotou e então reapareceu.

Para os pesquisadores, isso em si já era considerado um movimento "extraordinário". Mas o que acabou intrigando ainda mais é que o sinal deu negativo para testes que tentavam descobrir se ele era decorrente de algum evento, como estrelas, pulsares (restos de estrelas que explodiram), estrelas nêutrons normais ou binários de raios-X.

"Eliminamos amplamente a maioria das origens possíveis. Uma possibilidade restante intrigante vem de semelhanças com fontes de rádio de amplo espectro descobertas em pesquisas de imagem recentes. Fontes galácticas com espectros íngremes são geralmente pulsares. No entanto, as pesquisas de pulsação para a maioria dessas fontes não tiveram sucesso", atestaram os cientistas, no artigo.

De acordo com os pesquisadores, embora não seja a única fonte de rádio polarizado transitório, os demais encontrados tem a sua origem conhecida, geralmente relacionada com estrelas.

Em um artigo escrito pelos cientistas, publicado pelo site "The Conversation", eles concluem que "o sinal ainda é um mistério".

O próximo passo do estudo agora é continuar comparando os resultados dessa pesquisa com outras de demais radiotelescópios pelo mundo para saber se o ASKAP J173608.2?321635 é realmente único e se está relacionado ao plano galáctico. Isso que deve ajudar os pesquisadores a deduzir sua natureza.

"Continuaremos observando essa fonte de novas maneiras. É apenas a primeira de muitas fontes transitórias incomuns que esperamos encontrar e dá uma dica do futuro da radioastronomia", afirmam.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que dizia uma versão anterior deste texto em diversos parágrafos, o sinal de rádio encontrado pelos cientistas não é um "som", mas uma onda eletromagnética. O erro foi corrigido.