PUBLICIDADE
Topo

Cometas podem conter os elementos mais importantes para a vida na Terra

Cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko em imagem de 31 de janeiro de 2015 - ESA/Rosetta/NAVCAM
Cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko em imagem de 31 de janeiro de 2015 Imagem: ESA/Rosetta/NAVCAM

Felipe Oliveira

Colaboração para Tilt

02/12/2020 15h56Atualizada em 02/12/2020 16h59

Você já pensou se a vida na Terra tivesse sido criada a partir da chegada de cometas? Pois cientistas descobriram que um cometa carrega o último elemento que faltava entre os seis mais importantes para a vida em nosso planeta, dando suporte a essa teoria de que os "ingredientes para a vida" foram trazidos para cá.

Carbono, hidrogênio, nitrogênio, oxigênio, enxofre e fósforo, conhecidos coletivamente pela sigla CHNOPS, constituem todos os ingredientes mais importantes para a vida como conhecemos.

Por isso, os cientistas se perguntam como nosso planeta pode ser tão generoso em todos esses elementos, e uma das teorias é de que foram trazidos por cometas, asteroides e impactos com protoplanetas.

Nessa busca em confirmar a teoria, os especialistas conseguiram descobrir que carbono, hidrogênio, nitrogênio e oxigênio são encontrados facilmente nos asteroides carbonosos, o tipo de rocha espacial mais comum em nossa vizinhança. Mas dois dos elementos foram encontrados no mesmo cometa, o 67P / Churyumov - Gerasimenko.

Anteriormente, os cientistas já haviam detectado o enxofre neste cometa, que, segundo a ESA (Agência Espacial Europeia), teria um cheiro pungente de ovo podre. Agora, pesquisadores da Universidade de Turku, na Finlândia, afirmam ter detectado sinais de fósforo a bordo do cometa 67P / Churyumov - Gerasimenko, que completa sua revolução ao redor do Sol a cada 6,5 anos.

Com isso, o fósforo se une aos outros cinco elementos já encontrados anteriormente fora de nosso planeta. O fósforo foi detectado com flúor por meio do Analisador de Massa de Íons Secundários Cometários (Cosima, na sigla em inglês), a bordo da sonda Rosetta, que coletou partículas de poeira nas proximidades do cometa, que tem dois quilômetros de raio.

A descoberta pode indicar os cometas como responsáveis pela vida em nosso planeta. "Este resultado completa a detecção de elementos CHNOPS necessários para a vida na matéria cometária sólida, indicando a entrega cometária como uma fonte potencial desses elementos para a jovem Terra", diz o estudo.

Em entrevista ao portal oficial da Universidade de Turku, o líder do projeto, Harry Lehto, afirmou que a pesquisa conseguiu demonstrar que "os minerais apatita [do grupo dos fosfatos] não são a fonte do fósforo, o que implica que o fósforo descoberto ocorre de forma mais reduzida e possivelmente mais solúvel".

A pesquisa da Universidade de Turku torna mais difícil descartar a ideia de que a vida não foi "depositada" por elementos externos na Terra, agora que a lista do CHNOPS foi completada.

Mas calma, isso não significa que a fonte da vida foi descoberta. Apenas que os cientistas podem, pela primeira vez, afirmar que elementos CHNOPS, necessários à vida, são encontrados na matéria cometária sólida, e iniciar novas pesquisas a respeito disso.