PUBLICIDADE
Topo

Lua, Saturno e Júpiter estarão em conjunção esta noite; saiba como ver

Conjunção da Lua, Júpiter e Saturno é identificada com ajuda de software - Júlio Lobo com o software Stellarium
Conjunção da Lua, Júpiter e Saturno é identificada com ajuda de software Imagem: Júlio Lobo com o software Stellarium

Marcella Duarte

Colaboração para Tilt

23/10/2020 15h00

A Lua, Saturno e Júpiter estarão em conjunção na noite desta sexta-feira (23). Os três ficarão quase alinhados, bem próximos e brilhantes, com a Lua em fase crescente. O fenômeno celeste poderá ser visto facilmente a olho nu. A conjunção começa logo ao anoitecer, podendo ser apreciada até a meia-noite.

Para ver, é bem simples: basta achar a Lua. As duas grandes "estrelas" abaixo dela, serão, nesta ordem, os planetas Saturno (menor e mais dourado) e Júpiter (o ponto mais brilhante). Apenas torça para o céu estar limpo, sem chuva ou muitas nuvens.

Uma dica: diferente de estrelas, que cintilam, planetas têm um brilho mais fixo, por estarem mais perto da Terra e sofrerem menos turbulências atmosféricas. Se tiver dificuldades em localizar ou reconhecer cada astro, um software ou app de observação dos céus pode ajudar, como o Star Chart, Sky Safari ou Stellarium.

Até o final do ano, Júpiter e Saturno estarão juntos um do outro e alinhados. Algo raro, que só acontece a cada 20 anos, devido ao movimento lento dos dois planetas. Júpiter tem sido a "estrela" mais brilhante do nosso céu noturno —seu brilho perde apenas para o de Vênus, que nesta época não está visível.

Essa aproximação vai culminar com uma "grande conjunção" no dia 21 de dezembro. O fenômeno recebe este nome por ocorrer entre os dois maiores planetas do Sistema Solar. Júpiter e Saturno estarão ainda mais perto um do outro, sendo a maior aproximação desde 1623. Eles estarão a apenas 0,1 grau de distância (um quinto de uma Lua cheia), algo que só se repetirá em 2080.

"Aproveitem esse momento de contemplação do céu noturno para apreciar outros elementos da natureza: caso estejam no interior ou no campo, ouçam os animais de hábito noturno, como grilos e pássaros! Se estiverem em grandes cidades, a sinfonia é um pouco menos harmoniosa, com os ruídos dos carros e de tudo o que integra a vida urbana", diz Júlio Lobo, astrônomo do Observatório Municipal de Campinas.