PUBLICIDADE
Topo

Bem mais rápida do que o som: Rússia apresenta 1ª arma hipersônica do mundo

Vladimir Putin acompanha o teste do Avangard em 2018; um ano depois, a arma ficou pronta - Mikhail Klimentyev/Sputnik/AFP
Vladimir Putin acompanha o teste do Avangard em 2018; um ano depois, a arma ficou pronta Imagem: Mikhail Klimentyev/Sputnik/AFP

Rodrigo Trindade

De Tilt, em São Paulo

27/12/2019 16h35

Sem tempo, irmão

  • Avangard já pode ser lançado e foi apresentado a Putin
  • Míssil é capaz de viajar 27 vezes a velocidade do som
  • Arma pode mudar de direção enquanto voa na atmosfera, dificultando interceptação
  • China e Estados Unidos buscam desenvolver armamentos deste tipo

Um míssil que voa 27 vezes a velocidade do som (343 m/s). Esta é a principal característica do Avangard, nova arma hipersônica russa que ficou pronta nesta sexta-feira (27). A tecnologia é inédita para a indústria militar e sua chegada era aguardada desde março de 2018, quando o presidente Vladimir Putin apresentou o projeto em um discurso para a população.

De acordo com a agência de notícias AP, após mais de um ano de espera, o ministro da defesa Sergei Shoigu comunicou a Putin que o primeiro míssil equipado com a tecnologia está disponível para uso. O armamento foi alocado na região de Orenburg, que faz divisa com a fronteira noroeste do Cazaquistão.

Apesar da alta velocidade que o Avangard pode alcançar, a arma é capaz de mudanças acentuadas de direção na atmosfera, uma diferença significativa para mísseis comuns, que costumam seguir trajetórias previsíveis. Essa característica torna o míssil russo mais perigoso, pois interceptá-lo no ar é mais complicado do que derrubar um armamento com tecnologia mais velha.

Para Putin, o Avangard é um marco tecnológico russo comparável ao lançamento do satélite Sputinik em 1957. Na época, soviéticos deram um passo à frente de americanos na corrida espacial; hoje, o míssil hipersônico cumpre um papel semelhante, já que os Estados Unidos não têm uma arma do tipo e se preocupam com o risco introduzido pela invenção russa.

Russos já fizeram uma demonstração da nova tecnologia para inspetores americanos, uma medida de transparência respeitando um tratado de armas nucleares assinado com os Estados Unidos. O Avangard é capaz de carregar uma arma nuclear de até 2 megatons — a bomba de Hiroshima era mais de 100 vezes mais fraca, tendo cerca de 15 kilotons.

A principal inovação do Avangard é um composto capaz de aguentar temperaturas de até 2.000 ºC, atingidos durante o voo em velocidade hipersônica na atmosfera da Terra. Uma versão de testes do míssil, lançada em dezembro do ano passado, voou 6 mil km e atingiu seu alvo.

Rússia não está sozinha

Além dos russos, chineses trabalham com armas hipersônicas, ainda que não tão rápidas quanto o Avangard. Os Estados Unidos, por sua vez, também desenvolvem armas do tipo, mas estão mais atrasados.

Em agosto, o secretário de defesa Mark Esper afirmou que é uma questão de alguns anos para os Estados Unidos terem sua arma hipersônica.

Errata: o texto foi atualizado
A versão inicial do texto continha um erro na conversão de megatons para kilotons. O erro foi corrigido.

Inovação