PUBLICIDADE
Topo

Vai rolar uma mega faxina espacial para eliminar o lixo ao redor da Terra

Missão para a "limpa espacial" vai buscar satélites perdidos -
Missão para a "limpa espacial" vai buscar satélites perdidos

De Tilt, em São Paulo

10/12/2019 15h42

Muita gente já se tocou que não existe "jogar o lixo fora". O "fora" é só um jeitinho da gente fingir que todos nossos restos somem da nossa frente e vão parar em depósitos distantes —chegam até a China, muitas vezes. A mesma coisa acontece com os detritos espaciais, eles ficam lá zanzando no espaço.

Agora, resolveram organizar a primeira missão espacial para remover detritos da órbita da Terra, o lixo lançado pela atividade humana. A missão, conduzida pela Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês), deve começar em 2025 e pretende buscar 3.000 satélites que estão fora de operação.

A startup suíça Clearspace venceu uma disputa acirrada e começa a partir de março a estabelecer um novo mercado para remoção de lixo espacial e serviços em órbita, segundo a agência. "Imagine o quão perigoso seria navegar em alto mar se todos os navios perdidos na história ainda estivessem flutuando sobre a água", disse o diretor-geral da ESA, Jan Wörner, no comunicado. "Essa é a situação atual na órbita, e isso não pode continuar."

A Clearspace foi fundada por pesquisadores do Instituto Federal de Tecnologia de Lausanne, ou EPFL. O presidente do instituto, Luc Piguet, disse que a remoção de detritos espaciais se torna cada vez mais premente com o lançamento iminente de megaconstelações compostas por centenas ou mesmo milhares de satélites.

Existem quase 2.000 satélites em funcionamento no espaço, em comparação com 3.000 fora de operação, disse a ESA. Incluindo todos os detritos, existem cerca de 21 mil peças de pelo menos 10 centímetros de tamanho, de acordo com a Agência de Inteligência de Defesa dos EUA. (Com Bloomberg)

Astronomia