Topo

Após alfinetadas, Musk e Nasa preveem missão tripulada da Space X em 2020

10.out.2019 - O administrador da Nasa, Jim Bridenstine (à esq.), e o CEO da SpaceX, Elon Musk, falam com jornalistas durante visita à fábrica de foguetes em Hawthorne, na Califórnia - Gene Blevins/Reuters
10.out.2019 - O administrador da Nasa, Jim Bridenstine (à esq.), e o CEO da SpaceX, Elon Musk, falam com jornalistas durante visita à fábrica de foguetes em Hawthorne, na Califórnia Imagem: Gene Blevins/Reuters

De Tilt, em São Paulo

11/10/2019 09h43

O presidente da SpaceX, Elon Musk, e o administrador da Nasa, Jim Bridenstine, afirmaram que o primeiro lançamento para levar astronautas à estação espacial em foguetes da SpaceX pode acontecer no primeiro trimestre do ano que vem.

Em visita à fabrica da SpaceX, o chefe da Nasa também afirmou que a parceria entre as duas empresas continua forte, após recente troca de farpas públicas entre os dois principais executivos.

Para minimizar as polêmicas, Musk e Bridenstine disseram que a SpaceX está quase pronta para decolar, dependendo de como serão os testes no final deste ano. "Estamos bastante confiantes de que na primeira parte do próximo ano nós estaremos prontos para lançar astronautas americanos ao espaço em foguetes americanos", declarou o chefe da Nasa.

Desde 2011, após o fim do programa espacial norte-americano, a Nasa tem usado foguetes russos para levar astronautas à Estação Espacial Internacional. Com a parceria com a SpaceX —e com a rival Boeing—, a Nasa espera poder voltar a usar foguetes feitos em solo americano e reduzir custos.

Atualmente, a empresa paga cerca de US$ 85 milhões por assento nos foguetes russos. A expectativa é de que esse valor caia para aproximadamente US$ 50 milhões com as naves americanas.

Astronomia