Topo

Motorista de Uber sabe a nota que dei? Como é feita a média? Tire dúvidas

Sistema de notas para motoristas da Uber é item de curiosidade de muita gente - Robson Ventura/Folhapress
Sistema de notas para motoristas da Uber é item de curiosidade de muita gente Imagem: Robson Ventura/Folhapress

Renan Dionisio

Colaboração para o UOL

06/08/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Sistema de notas do Uber é baseado nas últimas 500 viagens do motorista
  • Em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, "mínimo" que motorista pode ter é 4,65
  • Usuário não precisa ter receio em dar nota: anonimato é garantido pela empresa

Um dos mais famosos apps de transporte privado, a Uber tornou-se praticamente indispensável na vida de quem mora em grandes cidades. Se é o seu caso, você provavelmente já usou - ou conhece alguém que já tenha utilizado - o serviço.

Por trás de toda a facilidade em entrar em um carro desconhecido, no entanto, há regras e sistemas tecnológicos que garantem o funcionamento do app. Um dos mecanismos é a avaliação do motorista: e não é coincidência você sempre viajar com pessoas que tenham números beirando a nota 5 - índice máximo da Uber.

Mas por que estes números são tão "quebrados"? Por que quase nunca há motoristas com nota 5? O UOL Tecnologia entrou em contato com a empresa, que explicou como estes números são construídos, e detalhou o sistema de notas do app.

De onde elas saem?

A nota dos motoristas da Uber é resultante da média de suas viagens. Mas isso não é, digamos, "eterno": assim que ele atinge o número de 500 trajetos, este índice passa a ser atualizado a cada novo usuário que entra no carro.

Ou seja, uma suposta nota 2 de um motorista em sua 10ª viagem será "anulada" a partir da 510ª vez em que utiliza o app.

Caso notas ruins sejam recorrentes e a média fique baixa, os prestadores de serviço recebem advertências para que melhorem os números. Se não houver evolução após três "avisos", eles podem ser desativados do serviço.

Mas o que é "média baixa"? Bem, geralmente, de 4,6 para baixo. Os números variam pouco de cidade para cidade: a nota mínima em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, regiões que deram início ao app no Brasil, são, respectivamente, 4,65, 4,65 e 4,60.

O ato de dar nota

Assim que uma viagem termina, tanto motorista quanto usuário podem avaliar um ao outro com estrelas de 1 a 5, de acordo com a satisfação.

Se você der uma nota menor que 5 ao motorista, "etiquetas" com comentários pré-definidos aparecem para dizer o que não foi bom na sua viagem.

Normalmente, a sua mensagem não vai chegar imediatamente ao motorista, mas se ele receber várias etiquetas da mesma reclamação, a Uber envia uma mensagem para ele com algumas dicas de como melhorar o seu serviço.

Mas, quando você dá uma avaliação "5 estrelas", outras etiquetas - desta vez com elogios - surgem e ficam salvas no perfil do motorista. Assim, quando ele fizer outra viagem, o próximo passageiro terá acesso a essas informações, inclusive com comentários adicionais de quem usou o serviço.

Não gostei da viagem. O motorista vai saber?

Não é bem assim...

O usuário não precisa ter receio em dar uma nota baixa com medo de o motorista saber como foi, especificamente, a sua avaliação: além da nota não cair imediatamente - como mostramos na elaboração dos números -, ele não recebe esse tipo de informação individualizada. Logo, em caso de problemas, pode ser sincero!

Qualquer avaliação feita após a viagem fica travada por algum tempo no sistema da Uber antes de aparecer para outros usuários ou fazer parte da nota média do motorista. Assim, a identidade e os dados do usuário são preservados.

Vou de app! Na briga com o Uber, os táxis não morreram

Confira o especial

Mais Transporte