Topo

Como cabular? Escolas da China usam uniforme com chip para rastrear alunos

Uniforme inteligente feito pela Guanyu Technology é capaz de rastrear alunos e até saber se ele está dormindo durante a aula - Divulgação/Guanyu Technology
Uniforme inteligente feito pela Guanyu Technology é capaz de rastrear alunos e até saber se ele está dormindo durante a aula Imagem: Divulgação/Guanyu Technology

Helton Simões Gomes

Do UOL, em São Paulo

30/12/2018 18h14

Ligar para seu filho para saber se ele está mesmo estudando virou coisa do passado. Pelo menos, na China. Por lá, as escolas estão adotando métodos mais sofisticados: os alunos são obrigados a usar uniformes com chips, que indicam onde ele está e até se ele está dormindo durante as aulas.

Segundo o jornal chinês “Global Times”, mais de dez instituições de ensino na província de Guizhou e na região autônoma de Guangxi já adotaram a novidade.

Os “uniformes inteligentes” possuem um microprocessador capaz de rastrear os deslocamentos dos alunos e compartilhá-los com outras pessoas. Com isso, é possível saber o comportamento deles.

Lin Zongwu é diretor de uma das escolas de Guizhou em que estudam jovens obrigados a usar os uniformes. Ao periódico estatal chinês, ele conta que as roupas notificam funcionários da escola, professores e pais dos alunos quando foi o momento exato em que eles entraram na escola e saíram dela. Ou seja, assim fica difícil cabular uma aula de matemática sem ninguém saber.

Dado não é roubado: o ano que nos obrigou a cuidar melhor dos nossos dados

Leia Mais

Mas não é só isso. Ele conta que, se um aluno deixar as dependências da escola sem autorização, um alarme é soado. Isso ocorre porque o que faz o uniforme ser inteligente é a presença de dois chips posicionados na altura dos ombros. Eles suportam uma temperatura de até 150°C e até 500 lavagens. Teoricamente, o que os permite saber da posição dos alunos é poderem se comunicar com sensores eletrônicos localizados na escola.

Aí surge a pergunta: Um aluno mais espertinho, que saiba dessa informação, não poderia tentar burlar o esquema? Não. Pelo menos, não facilmente.

Até o mais inteligente da classe pode se dar mal. Suponha que ele não queira ir à aula e dê seu uniforme a um colega, que vá estudar normalmente. É de se esperar que, quando a roupar cruzar os portões da escola, o sistema considere que o fujão compareceu a mais um dia de aula, certo? Bom, a estratégia até é boa, mas o sistema sabe quando uma dessas roupas não está sendo vestida pelo dono.

Como? A resposta é: com reconhecimento facial. Há câmeras posicionadas na entrada da escola coletando os detalhes faciais de cada estudante e combinando-os com as informações de identidade presentes no microchip. Se elas não baterem, um alarme soa.

Ah, e não precisa nem dizer que tentativas de despir o uniforme também geram um baita estardalhaço.

Dormir na classe nem pensar

Responsável pelo projeto, a empresa Guanyu Technology informa que os truques do uniforme inteligente não são apenas monitorar os jovens. Há mais funções disponíveis escondidas na manga.

Uniforme inteligente feito pela Guanyu Technology é capaz de rastrear alunos e até saber se ele está dormindo durante a aula - Divulgação/Guanyu Technology
Uniforme inteligente feito pela Guanyu Technology é capaz de rastrear alunos e até saber se ele está dormindo durante a aula
Imagem: Divulgação/Guanyu Technology

As roupas podem detectar também se um dos alunos está dormindo durante as aulas. E o que acontece nessas situações, você já deve imaginar: um alarme é tocado.

Vestindo os trajes, eles podem ainda fazer compras na escola sem a necessidade de coçar o bolso em busca de moedinhas ou de cartões de plástico. Tudo é feito sem contato, assim como com os cartões de transporte público no Brasil. Basta encostar a roupa em uma máquina própria, e, pronto, o lanche está comprado. Só que, em vez de inserir uma senha após ouvirem “crédito” ou “débito”, os alunos devem validar a transação com a impressão digital ou via reconhecimento facial.

E a privacidade?

O diretor Lin Zongwu diz que a frequência dos alunos aumentou desde que sua escola passou a exigir que usassem os uniformes. Apesar dessa vantagem, a tecnologia levanta questionamentos sobre a privacidade dos estudantes, afinal, as escolas podem saber onde estão enquanto estiverem usados os trajes. Os envolvidos no controle dessas informações pessoais, porém, não parecem muitos preocupados com isso.

Nós escolhemos não checar com precisão a localização dos estudantes depois da escola, mas, quando eles estão perdendo ou cabulando aulas, os uniformes ajudam a achá-los

Lin Zongwu

Made in China 2025

Já a Guanyu Technology informa que, por meio dos uniformes, as escolas podem “gerenciar digitalmente” seus estudantes. A empresa explica, em seu site, que foi criada “em resposta ao chamado do Partido Comunista do país” para criar “ambientes escolares inteligentes”.

A ideia de levar mais ferramentas tecnológicas para a sala de aula é uma adaptação para a educação da estratégia da China para economia, descritos no plano “Made in China 2025”, em que o país traça metas para dominar diversos segmentos, da inteligência artificial à supercomputação.

Mais Inovação