Topo

Câmera dupla no celular virou modinha, mas faz tanta diferença assim?

Zenfone 3 Zoom conta com câmera dupla em sua parte traseira - Vinicius Andrade/UOL
Zenfone 3 Zoom conta com câmera dupla em sua parte traseira Imagem: Vinicius Andrade/UOL

Gabriel Francisco Ribeiro

Do UOL, em São Paulo

24/04/2017 04h00

Apontada nos últimos anos como “a próxima tendência” de celulares, a câmera traseira dupla já virou realidade e pode ser encontrada em alguns modelos, como LG G6, Zenfone 3 Zoom e iPhone 7 Plus. Ela sempre é ressaltada como um importante diferencial em relação aos modelos de câmera simples, mas será que faz realmente fotos melhores?

A resposta é: depende.

Uma câmera dupla não significa necessariamente fotos melhores do que com um celular com uma única câmera traseira.

Mas, é bem verdade, a câmera dupla abre espaço para recursos muito interessantes que as câmeras simples não dão conta. Por exemplo:

Modo retrato

A principal aposta da câmera dupla que apareceu no iPhone 7 Plus e que depois foi copiada pelo Zenfone 3 Zoom com algumas melhorias é o "modo retrato" (no Zenfone chamado de “profundidade de campo”). A ferramenta combina imagens das duas câmeras, permitindo fotos com foco no objeto principal e fundo desfocado. 

Tanto o iPhone quanto o Zenfone utilizam uma câmera com lente grande angular e outra teleobjetiva -- essa composição de duas câmeras diferentes é ideal para novos efeitos em fotos.

No Zenfone ainda dá para controlar o quanto você quer desfocar o fundo --no iPhone, recurso é mais automático. 

As câmeras simples também conseguem desfocar o fundo, mas não no nível dos celulares com câmera dupla.

Foto com a elogiada câmera do celular Google Pixel - Márcio Padrão/UOL
Foto com a elogiada câmera do celular Google Pixel
Imagem: Márcio Padrão/UOL
Modo "Profundidade de Campo" com a câmera dupla do Zenfone 3 Zoom - Márcio Padrão/UOL
Modo "Profundidade de Campo" com a câmera dupla do Zenfone 3 Zoom
Imagem: Márcio Padrão/UOL
"Modo retrato" no iPhone 7 Plus - Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
"Modo retrato" no iPhone 7 Plus
Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Celulares como os da linha Galaxy S, da Samsung, sem câmera dupla, também podem criar o "moto retrato", mas o desfoque é bem mais tímido.

Outro nível de grande angular

O LG G6, top de linha da marca sul-coreana, é outro celular que consegue se destacar com os recursos únicos de sua câmera dupla.

Com as duas lentes, você consegue tirar fotos com um enquadramento muito maior, algo que você só consegue nas câmeras simples com o auxílio de acessórios (como uma lente Olloclip) ou com funções como a panorâmica. Esse tipo de enquadramento fez câmeras como a GoPro serem um sucesso, por exemplo.

As duas câmeras trabalham de forma mais independente. Você pode escolher alternar entre elas ou deixar isso pode ocorrer automaticamente à medida que muda o zoom --existe uma câmera simples e uma grande angular que capta muito mais. 

A diferença da câmera com lente grande angular do LG G6 (à dir.) com a câmera normal do aparelho - Lilian Barroso/UOL
A diferença da câmera com lente grande angular do LG G6 (à dir.) com a câmera normal do aparelho
Imagem: Lilian Barroso/UOL
A LG aposta na câmera dupla desde o LG G5. O G6 também conta com grande angular na câmera frontal, aumentando o espaço para selfies.

Zoom

As câmeras duplas também superam as simples no zoom. Em modelos como o iPhone 7 Plus e Zenfone 3 Zoom, a diferença é grande, principalmente por conta das lentes teleobjetivas.

Foto sem zoom com a câmera do Google Pixel - Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Foto sem zoom com a câmera do Google Pixel
Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Foto com a câmera dupla do Zenfone 3 Zoom sem auxílio do zoom - Márcio Padrão/UOL
Foto com a câmera dupla do Zenfone 3 Zoom sem auxílio do zoom
Imagem: Márcio Padrão/UOL
O iPhone 7 Plus, por exemplo, tem zoom óptico de 2x, enquanto o Zenfone 3 Zoom vai um pouco além, com zoom óptico de 2,3x. 

Foto com zoom de cerca de 2,3x do Google Pixel - Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Foto com zoom de cerca de 2,3x do Google Pixel
Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
 
Zoom óptico de 2,3x do Zenfone 3 Zoom em ação - Márcio Padrão/UOL
Zoom óptico de 2,3x do Zenfone 3 Zoom em ação
Imagem: Márcio Padrão/UOL
 
Foto com zoom de 2,3x do iPhone 7 Plus - Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Foto com zoom de 2,3x do iPhone 7 Plus
Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Isso significa imagens aproximadas sem perda de qualidade ou granulados.

Por outro lado, aproximar a imagem em 2x é como andar um metro para frente, o que você pode conseguir facilmente com uma câmera simples também.

Foto com zoom máximo do Google Pixel - Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Foto com zoom máximo do Google Pixel
Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
 
Close máximo do Zenfone 3 Zoom: o zoom total é de 12x - Márcio Padrão/UOL
Close máximo do Zenfone 3 Zoom: o zoom total é de 12x
Imagem: Márcio Padrão/UOL
 
Foto com zoom máximo (12x) do iPhone 7 Plus - Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Foto com zoom máximo (12x) do iPhone 7 Plus
Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
O zoom máximo dos dois celulares (somando o óptico e o digital) chega a 12x, mas há granulação e perda de resolução quando o zoom digital entra em ação.

Vale a pena?

Não basta ter uma câmera dupla para ter imagens boas, é preciso tirar o máximo dos recursos de cada smartphone.

Se considerarmos a reação à luz artificial ou natural, a composição de cores, a estabilização da imagem, o tamanho do pixel (e não estamos falando do megapixel sempre anunciado nos lançamentos, que é mais marketing do que garantia de qualidade) e o foco, por exemplo, fica claro que há muito mais coisas em jogo.

Câmeras simples como as do Samsung Galaxy S7 ou do Google Pixel, muito elogiadas pelo mercado, continuam sendo excelentes e dispensam uma câmera dupla - e podem, inclusive, apresentar fotos de melhor qualidade.

Embora as câmeras duplas não representem ainda uma revolução, elas chegaram para ficar e devem baratear com o tempo - já é possível comprar um aparelho com a tecnologia por menos de R$ 2.000, caso do Zenfone 3 Zoom.

Mais Tilt