Topo

Você vai falar com os eletrônicos da sua casa, e quem vai responder é Alexa

Este fofo robô caseiro da LG terá o Amazon Alexa para conversar com você - AP Photo/John Locher
Este fofo robô caseiro da LG terá o Amazon Alexa para conversar com você Imagem: AP Photo/John Locher

Gabriel Francisco Ribeiro*

Do UOL, em São Paulo

09/01/2017 04h00

Parece que a indústria da tecnologia tem um novo queridinho que promete estar na sua vida em um futuro próximo. O Amazon Alexa, assistente que realiza tarefas apenas ouvindo seus comandos de voz, está por todo lugar na CES 2017 (Consumer Electronics Show), a maior feira de tecnologia do mundo, que acabou neste domingo (8) em Las Vegas, EUA. Logo, ele poderá também aparecer na sua casa.

A gama de produtos que apareceram com o assistente da Amazon é incrível. Geladeiras, robôs, celulares, caixas de som, secadoras, lavadoras, aspiradores de pó, roteador wi-fi, carros... Você nomeia o objeto e provavelmente aparecerá um com o Alexa. Mas o que é e o que faz o novo queridinho da indústria de tecnologia, que derruba os já populares Google Assistente, Siri da Apple e Cortana da Microsoft?

Inspirado em Star Trek

A grande diferença é que este assistente vai muito além da ajuda com o celular. Alexa, também movido a uma inteligência artificial, surgiu em 2014 junto ao Amazon Echo, uma caixa de som inteligente que responde a seus comandos de voz. Logo fez sucesso nos países em que era vendido e foi para muitos outros aparelhos. 

Amazon Echo foi o primeiro produto a contar com o Alexa - AP Photo/Mark Lennihan
Amazon Echo foi o primeiro produto a contar com o Alexa
Imagem: AP Photo/Mark Lennihan

A inspiração do produto veio do computador da nave Enterprise, do seriado e filme de ficção científica Star Trek. Assim como o Alexa, o computador interage com os personagens da série por meio de uma conversação. Será que nós estamos finalmente mais perto do futuro que a ficção previu?

A caixa de som inteligente Echo, que também é uma assistente pessoal, está disponível nos Estados Unidos por US$ 180 (cerca de R$ 580). Uma versão mais barata, chamada de Amazon Echo Dot, que permite conectar o Alexa em uma caixa de som que o usuário já possua, custa US$ 50 (R$ 160). O lado ruim é que, atualmente, só funciona em inglês e alemão, o que nos deixa ainda longe das inovações.

O que você pode fazer com ajuda do Alexa?

A resposta para a pergunta acima é: muita coisa. O assistente pessoal, que aparece em cada vez mais produtos, pode deixas nossos braços um pouco inúteis no futuro. Nos aparelhos já existentes, à venda pela Amazon americana, o Alexa é capaz de executar impressionantes 33 mil tarefas, que vão de comandos básicos, como "ajuda" ou até "cale a boca", para mais específicos. Na parte musical, por exemplo, a quantidade de comandos é enorme. Apenas com a voz, você pode pedir para tocar uma música em determinado app, perguntar qual música está tocando, pedir para trocar de música e muito mais. Ele ainda pode ler notícias, falar a temperatura, fazer contas matemáticas, pesquisar informações por você... 

Carro da Ford virá com Amazon Alexa integrado - Divulgação
Carro da Ford virá com Amazon Alexa integrado
Imagem: Divulgação

Mas o Alexa vai muito além dessas funções corriqueiras que a própria Siri, por exemplo, faz.

Por meio dele, você pode comandar sua casa, se tiver produtos compatíveis. A intenção é que no futuro as pessoas façam tudo por meio de Alexas: acender luz, ajustar temperaturas, trancar portas, controlar sua TV, fechar garagem, comprar produtos, ligar um ventilador. Sim, tudo isso usando só a sua voz.

Há ao menos uma preocupação por enquanto: produtos como o Alexa mantêm seus ouvidos atentos o tempo todo. Ou seja, ele escuta tudo o que você, amigos e familiares estão falando, a todo o momento. Isso ocorre porque o produto precisa ouvir quando você fala a palavra mágica para ativá-lo – "Alexa", ou outra que você configurar, por isso existe um medo relacionado a privacidade

Nova linha de produtos da Whirlpool será comandada por voz com o Alexa - Ethan Miller/Getty Images/AFP
Nova linha de produtos da Whirlpool será comandada por voz com o Alexa
Imagem: Ethan Miller/Getty Images/AFP

Queridinho na CES 2017

A explicação de por que o Alexa virou um produto onipresente na CES 2017 é simples: ao contrário de empresas como a Apple, que cerceiam suas patentes, ou até mesmo do Google, que concentra seu assistente no Android, a Amazon prefere liberar suas inovações para outros desenvolvedores. É por isso, por exemplo, que surgem produtos como uma caixa de som da Lenovo que é basicamente um concorrente do Amazon Echo, mas usando o mesmo Alexa. 

Robô da empresa Styx será espécie de "Amazon Echo que anda" - AP Photo/Jae C. Hong
Robô da empresa Styx será espécie de "Amazon Echo que anda"
Imagem: AP Photo/Jae C. Hong

Na CES, contudo, o Alexa ultrapassou horizontes e surpreendeu ao estar em múltiplos produtos diferentes. Um deles, por exemplo, é um carro da Ford, que ganhou um botão que ativa o tecnologia da Amazon e te faz conversar com o Alexa e usar suas funcionalidades.

O Alexa também estará em seus eletrodomésticos. A LG já anunciou uma geladeira e um robô que contam com o sistema embutido. Isso significa que você pode controlar a geladeira, desde as configurações de energia a até pedir comida, com sua voz. Já o robô é como se fosse um ajudante da casa ou um "Amazon Echo que anda". A empresa Lynx foi outra a lançar um robô com Alexa, com as mesmas características da LG. 

A nova geladeira da LG contará com o Amazon Alexa - David McNew/AFP
A nova geladeira da LG contará com o Amazon Alexa
Imagem: David McNew/AFP

A Whirlpool também colocá a tecnologia em suas novas lavadoras, secadoras, geladeiras e fornos. A inovação da Amazon ainda apareceu no celular Huawei Mate 9, em uma caixa de som da Mattel, útil também para pais por trazer funções que ajudam no cuidado com os filhos, em aparelhos de TV, em relógios inteligentes, em um aspirador de pó da Samsung, em lâmpadas, em roteador da Linksys, em sistemas de segurança para casa...

Com tudo isso, sua voz ficará cada vez mais poderosa.

Concorrentes terão que correr atrás

A impressão que fica é que o Alexa chegou para dominar este mercado futurístico, em que poderemos interagir por voz com tudo a nossa volta, e ficar. Na CES 2017, apareceu até uma simples lixeira que abria com o comando de voz "abre-te sésamo".

Outros "Alexas" existem. O principal concorrente da Amazon é o Google Home, já disponível nos EUA e bastante similar ao Amazon Echo. A Apple ainda tem o HomeKit, em que produtos para casa podem ser controlador por um aplicativo – parece, contudo, que o futuro será feito de menos touchscreens e mais comandos de voz. Microsoft e Samsung também têm sua linha de produtos semelhantes ao Alexa. O problema de todos eles é que o comando de voz só funciona se todos os aparelhos forem da mesma marca.

O ponto positivo do Alexa é que ele pode estar em vários dispositivos ao mesmo tempo – do carro à sua geladeira. Mais do que um simples assistente por comando de voz, há quem diga que o Alexa se assemelhe mais a um sistema operacional no futuro.

Para nós do Brasil, resta saber quando o Alexa falará português. Essa ainda é uma barreira para a popularização dos comandos de voz por aqui.

Qual é a melhor assistente de voz?

UOL Notícias

* Colaborou Márcio Padrão, em Las Vegas

Mais Tilt