PUBLICIDADE
Topo

Cerca de 7 mi de brasileiros usam internet Wi-Fi do vizinho, diz estudo

Do UOL, em São Paulo

16/09/2013 14h21Atualizada em 16/09/2013 16h13

Cerca de 7,1 milhões de usuários brasileiros acessam a internet por meio de redes Wi-Fi compartilhadas, segundo um estudo do instituto Data Popular divulgado nesta segunda-feira (16). Esses usuários, diz a pesquisa, não são assinantes de operadoras e acabam usando o sinal de internet liberado pelo vizinho.

Saiba como instalar roteador para usar rede Wi-Fi em casa

A título de comparação, a porcentagem de pessoas que usa internet compartilhada é pequena comparado ao número total de internautas no Brasil. De acordo com dados do Ibope, o país somou 102 milhões de usuários no 1º trimestre de 2013.

A atividade de compartilhar internet entre vizinhos é considerada clandestina. No entanto, uma decisão do TRF (Tribunal Regional Federal) da 1ª região negou na última sexta-feira (13) um recurso do MPF (Ministério Público Federal) que caracterizava como crime a partilha de sinal. Segundo a decisão do TRF, que foi unânime, o compartilhamento e a retransmissão não configuram atividades clandestinas de telecomunicações. Ainda cabe recurso.

Classe média é campeã em "roubo" de Wi-Fi

O levantamento descobriu que a classe média é a que mais utiliza redes Wi-Fi compartilhadas por vizinhos: 10% dos entrevistados disseram navegar frequentemente na rede alheia enquanto está em casa. Já nas classes baixa e alta, os porcentuais foram iguais: 4% para cada uma.

De acordo com Renato Meirelles, presidente do Data Popular, a prática de compartilhar internet é mais comum na classe média, pois esses usuários “emergentes” têm relações mais próximas com os vizinhos.  “Identificamos em nossas pesquisas qualitativas vínculos sociais mais estreitos na classe média. Nesse caso em específico, uma pessoa faz a assinatura de internet banda larga, rateando a conta entre dois ou três vizinhos”.

Meirelles cita que esse fenômeno é mais comum na classe média, pois os usuários dessa classe costumam contratar pacotes com velocidades maiores. Em comparação, as classes mais baixas não têm dinheiro para assinar um pacote de alta velocidade e acaba não compensando compartilhar o sinal com um vizinho.

O estudo também analisou o uso de internet compartilhada por faixa etária. A maior fatia é composta por pessoas de 16 a 25 anos (21%). Na sequência, vem usuários com idade entre 26 e 39 anos (8%) e internautas entre 40 e 59 anos (3%).

Num recorte por região,  a região Sudeste é a com maior ocorrência do uso de internet compartilhada, com 8%. Depois vem a região Norte (7%), Nordeste (6%), Sul e Centro Oeste (com 5% cada uma).

A pesquisa do Data Popular foi realizada em junho deste ano e foram entrevistadas 2.000 pessoas em 100 cidades do país.