PUBLICIDADE
Topo

Plano 4G da Vivo permitirá consumo de até 40 GB por mês em casa

Smarpthone Samsung rodando teste de conexão de rede 4G da Vivo; velocidade chegou a quase 10 Mbps (Megabits por segundo), dez vezes a velocidade convencional do 3G - Ana Ikeda/UOL
Smarpthone Samsung rodando teste de conexão de rede 4G da Vivo; velocidade chegou a quase 10 Mbps (Megabits por segundo), dez vezes a velocidade convencional do 3G Imagem: Ana Ikeda/UOL

Ana Ikeda

Do UOL, em São Paulo

30/04/2013 16h57

Além das seis cidades-sede da Copa das Confederações, a Vivo lança nesta terça (30) sua rede 4G também na cidade de São Paulo. Segundo a operadora, até o final de maio, a internet móvel ultraveloz estará disponível em Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul. O consumo máximo de dados oferecido pela operadora será nos planos mensais de 20 GB (via modem e em tablets) e 40 GB (residencial), ambos por R$ 159,90.

Para tablets e notebooks, a franquia parte de 5 GB (atingido o limite de dados baixados, a velocidade é limitada), mas chega a planos de 20 GB. Para usuários domésticos, há um plano de 40 GB para downloads. Nesse caso, a internet poderá ser compartilhada via Wi-Fi com quaisquer outros dispositivos na casa.

Segundo a Vivo, esse é o maior pacote de consumo de dados para computadores e tablets oferecido no mercado. Os preços das franquias do 4G são os mesmos dos atuais planos "3G Plus", exceto para velocidades que só a nova rede consegue atingir.

A empresa destacou que o 4G poderá ser usado no modelo MultiVivo, que compartilha a franquia de dados entre múltiplos dispositivos. Cada dispositivo a mais usado dentro desse plano adiciona R$ 29 ao valor mensal pago pelo serviço, no caso de computadores e tablets, e R$ 49, no caso de smartphones.

Já os planos da operadora para smartphones partem de R$ 99,90, com franquias de dados que vão de 2 GB até 6 GB.

Presente no evento de lançamento da Vivo realizado em São Paulo, João Rezende, presidente da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações, disse que a oferta comercial, que começa a partir de hoje, já está sendo fiscalizada pela agência, que tem um mapa próprio para acompanhar a expansão da cobertura da tecnologia. Ele afirmou que, mesmo assim, os consumidores devem se informar sobre a cobertura da nova rede antes de adquirir os planos. "É importante que as operadoras frisem que a cobertura inicial atinge 50% da área urbana das cidades [da Copa das Confederações]", disse. 

Cronograma

Apesar de o cronograma de implantação da tecnologia ter sido casado com o dos eventos esportivos, Paulo Bernardo, ministro das Comunicações, disse que o planejamento geral tem impacto nos próximos 15 anos. "Esse serviço é para a população brasileira e não tenho dúvida nenhuma de que o 4G será muito procurado." O ministro participou do lançamento do serviço da Vivo, junto a outras autoridades do governo municipal e estadual de São Paulo.

Bernardo ressaltou, referindo-se às operadoras, que "todos estão fazendo a tarefa de casa" e ironizou as criticas feitas antes do lançamento do 4G. "Vim aqui para ver se ia funcionar, já que tanta gente disse que não iria", brincou. "Telefonia, seja móvel ou fixa, já é serviço essencial. A internet também. Para a população se desenvolver, esses serviços são essenciais", completou.

Segundo Antonio Carlos Valente, presidente da Telefônica Vivo, daqui em diante o processo de implantação da rede deve seguir um ritmo acelerado, dado o prazo estabelecido pela Anatel (até 31 de dezembro) para que as demais sedes e subsedes da Copa do Mundo de 2014 tenham 4G.