PUBLICIDADE
Topo

Pergunta pro Jokura

Como era a contagem dos anos até a divisão em "antes e depois de Cristo"?

Gerd Altmann/ Pixabay
Imagem: Gerd Altmann/ Pixabay
Tiago Jokura

Tiago Jokura é jornalista e, portanto, curioso profissional. Passou os últimos 15 anos respondendo as dúvidas mais complexas e inusitadas dos leitores na mídia impressa ? na tentativa infinita de explicar como o mundo funciona com clareza e bom humor. Agora, continua essa saga aqui no UOL. Mande sua pergunta cabeluda que ele faz questão de pentear.

01/02/2021 04h00Atualizada em 02/02/2021 11h33

Que ano marcavam os calendários quando começamos a contar "antes e depois de Cristo"? - Pergunta de Iracema Natividade, de Cristalina (GO) - quer enviar uma pergunta também? Clique aqui.

Sua pergunta tem múltiplas respostas, estimada cristalinense. Primeiro, depende de que calendário estamos falando. Para delimitar a conta, vou me ater a três deles: ao romano da época em que Cristo nasceu, ao judeu e ao chinês.

Todos estes já existiam no ano 1 d.C. e tanto o judeu como o chinês são usados até hoje. Só que tem uma pegadinha histórica aqui: a contagem de anos antes e depois de Cristo (a.C. e d.C) só foi inaugurada mais de 500 anos depois do que hoje chamamos de ano 1 d.C. —que, na verdade, era o ano 754 para os romanos, 3761 para os judeus e 2697 para os chineses.

Essa história de identificar o ano de nascimento de Cristo como algo marcante começou em 525 d.C. e foi ideia do monge Dionísio Exíguo, da Cítia Menor (região que hoje se divide entre os territórios da Romênia e da Bulgária).

Enquanto montava um calendário para organizar as datas da Páscoa, ele fez umas contas de padaria e atribuiu o status de ano 1 ao que batizou como "anno Domini nostri Jesu Christi" ("ano de nosso Senhor Jesus Cristo", traduzindo livremente do latim). A abreviação Anno Domini (AD) é usada até hoje para identificar os anos que vieram após Jesus.

Voltando aos cálculos, o ano em que Dionísio "inventou" o Anno Domini equivale ao ano 525 no nosso calendário atual, ao ano 4285 no calendário judeu, e ao ano 3221 no calendário chinês. Mas foi só a partir do século 8 que a ideia de Dionísio começou a se popularizar.

Ao longo dos séculos, os países europeus passaram a adotar o Anno Domini oficialmente e a expressão "antes de Cristo" só pegou mesmo a partir do século 15.

Atualmente, a contagem é quase universal, sendo adotada até por povos e nações que têm outros calendários mais antigos ainda vigentes.

Para finalizar, uma última nota curiosa: de acordo com vários historiadores, o nascimento do próprio Cristo não ocorreu no ano 1 d.C. —não há consenso, mas uma estimativa bastante aceita é a de que ele tenha nascido entre 4 a.C e 6 a.C.

Ou seja, Iracema, se sua dúvida era sobre que ano marcavam os calendários quando Jesus nasceu, a resposta aproximada é 749 para os romanos (império que governava a região em que Cristo nasceu), 3756 para os judeus (povo a que Cristo pertencia) e 2692 para os chineses.

Tem alguma pergunta? Deixe nos comentários ou mande para nós pelo WhatsApp.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado, a estimativa aceita é a de que Jesus tenha nascido entre 4 a.C e 6 a.C. Anteriormente, o texto informava que o período entre 4 d.C e 6 d.C. O erro foi corrigido.