PUBLICIDADE
Topo

Guilherme Rambo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

HomePod mini é um passo promissor para montar a casa inteligente da Apple

HomePod mini sendo pareado com um iPhone - Divulgação
HomePod mini sendo pareado com um iPhone Imagem: Divulgação
Guilherme Rambo

Guilherme Rambo é programador desde os 12 anos. Especialista em engenharia reversa, é conhecido mundialmente por revelar os segredos da Apple antes mesmo dos anúncios da empresa, além de programar para as plataformas da empresa.

26/03/2021 04h00

Não é segredo para ninguém que sou usuário assíduo do HomeKit — tecnologia de casa inteligente da Apple. Um dos produtos mais importantes da empresa na área sempre foi o HomePod, caixa de som inteligente que a empresa anunciou em 2017 e lançou em 2018. Porém, isso mudou recentemente: a empresa anunciou oficialmente, no último dia 12, que estaria descontinuando o HomePod para focar completamente no seu irmão menor, o HomePod mini.

Esta atitude deixou alguns usuários preocupados, afinal, por que a Apple desistiria de um produto como o HomePod, sendo que deveria possuir uma estratégia sólida para competir no mercado de casa inteligente e assistentes virtuais?

A resposta pode ter vindo dos próprios usuários. A Apple continua vendendo o HomePod original, enquanto durarem os estoques. Muitos fãs do produto correram para as lojas e compraram mais unidades. O que estas pessoas notaram ao receberem seus HomePods novinhos, lacrados na caixa, analisando número de série e software pré-instalado, foi que se tratavam de HomePods da leva original, do início de 2018.

Ou seja, existe uma grande possibilidade da Apple ter fabricado somente uma leva de HomePods: a primeira, lá em 2018.

Isso sinaliza que o interesse pelo produto não foi aquele que a empresa esperava, justificando seu cancelamento e o foco no HomePod mini.

O motivo do produto ter falhado pode variar, mas muito provavelmente está relacionado ao preço do HomePod quando comparado a produtos da concorrência.

Tudo bem que a qualidade de som do HomePod é fantástica e indiscutível. O problema é que a maioria das pessoas não liga tanto para isso a ponto de justificar uma compra de US$ 299.

O HomePod mini, com seu preço mais amigável de US$ 99 nos Estados Unidos, é muito mais interessante para a enorme maioria dos consumidores. Essa diferença de preço é especialmente importante quando consideramos que o produto fica melhor quando você possuí duas ou mais unidades, para fazer pares estéreo ou espalhar pelos cômodos da casa.

Minha experiência com o HomePod mini

Imediatamente após a Apple anunciar o HomePod mini pelo preço de US$ 99, percebi uma oportunidade. Estando completamente inserido no ecossistema da empresa com HomeKit, Apple Music, entre outros, além de estar reformando apartamento para o qual vou me mudar em breve, decidi comprar 8 unidades para espalhar pelo lugar.

Peguei uma delas e instalei no meu escritório atual para que pudesse testar o produto. Após testá-lo, fiquei menos decepcionado com o fim do HomePod original.

Posso afirmar que o som do HomePod mini é mais impressionante que do HomePod grande. Veja bem: mais impressionante, não melhor. Digo que é mais impressionante pois o HomePod mini é muito pequeno —cabe na palma da mão—, já o HomePod original é bastante grande e pesado. Então quando você olha para ele, espera um som potente, algo que você não espera naturalmente de algo com o tamanho do HomePod mini.

Ele parece aproveitar bem a superfície onde está para propagar os graves.

Coloquei ele na minha mesa de trabalho e é possível sentir ela vibrando quando o HomePod mini está tocando música. Se eu o levanto da mesa, é perceptível a redução nos graves.

Para a enorme maioria dos usuários, o som do HomePod mini é mais que o suficiente, principalmente para quem mora em apartamento. Eu nunca usei o HomePod original com volume acima de 30% aqui, porque ele é muito potente para o ambiente onde está.

Além de ter uma qualidade de som satisfatória, o HomePod mini tem também algumas vantagens em relação ao HomePod aposentado. Primeiramente vem o preço, claro.

Ele também possui o novo chip U1 da Apple, então se você tem um iPhone recente, pode simplesmente apontar o smartphone na direção do HomePod mini para ver o que está reproduzindo nele, ou para transferir música ou outros tipos de áudio entre o iPhone e o HomePod mini.

O tamanho menor e o design clean também ajudam a colocá-lo em qualquer ambiente, sem que fique chamando muita atenção.

HomePod mini divulgação Apple - Divulgação - Divulgação
HomePod mini na mesa da cozinha em imagem de divulgação da Apple
Imagem: Divulgação

O principal recurso do HomePod grande que está faltando no HomePod mini é a possibilidade de usá-lo como saída de áudio padrão para a Apple TV, que a Apple chama de "Home Theater". Porém, eu acredito que isto seja uma limitação artificial imposta em software, então é muito provável que uma atualização futura traga o mesmo recurso para o HomePod mini.

Algumas pessoas acreditam que não é possível fazer par estéreo com o HomePod mini, mas isso não é verdade: você pode sim configurar dois HomePods mini como um par estéreo.

Da mesma forma, algumas pessoas acreditam não ser possível utilizá-lo com a Apple TV, o que também não é verdade. O único recurso que falta com relação à Apple TV é poder configurá-lo como saída de áudio padrão, sem precisar selecioná-lo cada vez que for usar a Apple TV com o HomePod mini.

Estratégia de casa inteligente da Apple

Além dos recursos que citei acima, o HomePod mini parece estar escondendo ainda mais recursos. Ao menos é o que diz o analista Mark Gurman. Um passarinho contou para ele que o HomePod mini teria em seu interior um sensor de temperatura e umidade, que a empresa teria colocado na intenção de disponibilizar essa informação para os usuários no aplicativo Casa.

A iFixit desmontou um HomePod mini e confirmou a presença de tal sensor. A posição dele no aparelho, longe da placa, indica que ele foi colocado na intenção de medir a temperatura e umidade do ambiente, não dos próprios componentes internos do HomePod mini.

Então é possível que uma futura atualização de software torne o HomePod mini em um sensor de temperatura e umidade para os cômodos onde estiver instalado, o que além de servir como um bom indicador, também pode ser usado para automações residenciais.

Gurman também afirmou que a Apple teria em seus laboratórios uma versão do HomePod com tela, que poderia ser usado para fazer chamadas de vídeo, entre outras coisas.

A concorrência da Apple já tem produtos similares, então é bem plausível que a empresa também esteja planejando algo do tipo, o que significaria uma nova vida para a linha HomePod.

Pessoalmente, espero que a Apple continue seus esforços no ramo da casa inteligente. A integração entre os produtos da empresa e sua preocupação com privacidade são incomparáveis a qualquer outro fabricante de produtos para casa inteligente.

O investimento recente no HomePod mini e em iniciativas como o consórcio "Connected Home Over IP" me deixam esperançoso.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL