PUBLICIDADE

Topo

CBLoL 2020: Flamengo e KaBuM disputam título em final online inédita

Em 2018, na primeira final de CBLoL entre as equipes, a KaBuM levou a melhor - Divulgação/Riot Games
Em 2018, na primeira final de CBLoL entre as equipes, a KaBuM levou a melhor Imagem: Divulgação/Riot Games

Gabriel Oliveira

Colaboração para o START

08/05/2020 12h06

Dois clubes com histórias vitoriosas no League of Legends (LoL) decidem o título da 1ª Etapa do Campeonato Brasileiro (CBLoL) de 2020 neste sábado (9), a partir das 13 horas.

Após campanhas de superação, Flamengo e KaBuM se enfrentarão na primeira final online da história do cenário competitivo nacional, em razão da pandemia do novo coronavírus.

Formato e como assistir

CBLoL Semifinais - Reprodução/YouTube - Reprodução/YouTube
Nova realidade no CBLoL online: comentaristas e narradores ficam de casa, cada um em sua janela
Imagem: Reprodução/YouTube

Os dois times irão duelar em um confronto melhor de cinco partidas (MD5), em busca do prêmio de R$ 70 mil. Neste ano, o campeão não se classificará para o Mid-Season Invitational (MSI), campeonato internacional de meio de temporada, cancelado por conta da Covid-19. Haverá transmissão ao vivo nos canais oficiais de streaming da Riot Games Brasil e no canal de televisão SporTV 3.

Esta será a primeira vez que uma competição nacional oficial de LoL será decidida pela internet. Desde o início do cenário competitivo brasileiro, em 2012, os jogos decisivos vinham sendo todos presenciais.

Para o treinador do Flamengo, Thiago "Djokovic" Maia, uma final online aproxima as realidades de competição e treinamento e alivia a pressão. "A prática e o campeonato ficam bem mais próximos em identidade por serem realizados no mesmo espaço físico. Em especial em uma final, não ver o adversário diminui um pouco da adrenalina. Além disso, a torcida, que pode interferir no emocional, não está presente".

O head administrativo da KaBuM, Igor Corrêa, segue a mesma linha de pensamento. "O nervosismo e a pressão sobre os jogadores podem ser menores com a disputa online. Mas a responsabilidade e o peso de jogar uma final do CBLoL continuam os mesmos".

Em especial em uma final, não ver o adversário diminui um pouco da adrenalina
Thiago "Djokovic" Maia, treinador do Flamengo

CBLoL Torcida - Riot Games/Divulgação - Riot Games/Divulgação
Com disputas online e sem torcida, a pressão sobre os jogadores tende a ser menor
Imagem: Riot Games/Divulgação

Campanha de recuperação

Para chegarem à decisão, KaBuM e Flamengo trilharam caminhos tortuosos. Enquanto a equipe da empresa de Limeira (SP) teve de fazer uma campanha de recuperação depois de começar o torneio com uma série de derrotas, o Rubro-Negro enfrentou uma tumultuada crise administrativa.

Nas seis primeiras semanas da fase de classificação, a KaBuM perdeu oito jogos e só venceu quatro. Nas três semanas decisivas, disputadas pela internet, a equipe levou a melhor em sete de nove confrontos, com direito a uma sequência de seis triunfos nas últimas rodadas que rendeu a ida para a fase eliminatória. Nas semifinais, vitória por 3 a 0 sobre a líder Vivo Keyd.

A KaBuM está, portanto, invicta há nove partidas e chega embalada para a decisão deste sábado.

KaBuM - Divulgação/Riot Games - Divulgação/Riot Games
A KaBuM já representou o Brasil no Mundial de LoL em duas ocasiões: 2014 e 2018
Imagem: Divulgação/Riot Games

De acordo com o head administrativo, a equipe tem se dado bem nos treinos desde o início do campeonato, mas encontrou dificuldade em repetir a performance nas partidas oficiais. "Trabalhamos muito com a comissão técnica e os jogadores, focando também no equilíbrio físico e psicológico de todos, para refletir este bom desempenho no jogo. Dessa forma, conseguimos que o time se encontrasse", explica Igor.

Os pro-players estão na gaming house da KaBuM e têm treinado com times do Circuito Desafiante e alguns do CBLoL. "Foi uma semana bem intensa de preparação em todos os âmbitos, para que possamos dar o nosso melhor na final", destaca o head administrativo do clube.

Uma das mais tradicionais organizações de eSports do Brasil, a KaBuM tem três títulos nacionais no LoL: a Final Regional Brasileira de 2014 e as duas edições do CBLoL da temporada 2018. A equipe venceu todas as decisões que disputou.

Representar a KaBuM tem um peso muito grande, considerando a história e a tradição do time no cenário. Mas, ao mesmo tempo, é uma satisfação enorme e um orgulho ímpar
Igor Corrêa, head administrativo da KaBuM

KaBuM 2014 - Riot Games/Divulgação - Riot Games/Divulgação
KaBuM comemora o título do CBLoL de 2014
Imagem: Riot Games/Divulgação

Crise nos bastidores

Já o Flamengo vem de uma sequência de três finais, com uma conquista recente. Desde que subiu do Circuito Desafiante, o torneio da 2ª divisão, para a elite, o Rubro-Negro não deixou de disputar uma decisão sequer. O clube conquistou a 2ª Etapa do CBLoL 2019 e ficou com o vice na 2ª Etapa de 2018 e na 1ª Etapa de 2019.

O Flamengo é uma das potências do LoL brasileiro. Representar a camisa, só por isso, já seria um peso gigantesco. Ele se torna inimaginável quando pensamos em toda a torcida rubro-negra fora do LoL: é apaixonada e merece todo nosso suor e respeito
Thiago "Djokovic" Maia, treinador do Flamengo

CBLoL Djoko - Divulgação/Riot Games - Divulgação/Riot Games
Por trás do Flamengo: o coreano Stardust, antes de ser demitido, e Djoko
Imagem: Divulgação/Riot Games

Para chegar à quarta final consecutiva, o Flamengo precisou superar uma crise nos bastidores, provocada por problemas na administração da equipe.

Primeiro, o clube anunciou a demissão de quatro jogadores reservas e do técnico sul-coreano Son "Stardust" Seok-hee, alegando dificuldades financeiras provocadas pela pandemia de covid-19. Dias depois, recontratou dois deles.

No dia seguinte aos desligamentos, o Flamengo informou que o jogador Han "Luci" Chang-hoon retornaria à Coreia do Sul por "questões de saúde", potencializadas pela preocupação com o novo coronavírus. Na época, o Globoesporte.com noticiou que o sul-coreano estava insatisfeito na equipe e com medo do avanço da covid-19 no Brasil.

Ranger - Divulgação/Riot Games - Divulgação/Riot Games
Ranger, atual jogador do Flamengo, estava na KaBuM campeã de 2018
Imagem: Divulgação/Riot Games

Além disso, houve um racha na administração: a Team One deixou de tocar a operação da equipe após atrasar o pagamento de salários e não conseguir patrocinadores, segundo revelou a ESPN Brasil. A norte-americana Simplicity, parceira do clube brasileiro na gestão do departamento de eSports do Flamengo, assumiu a direção.

Isso tudo, durante o CBLoL, afetou os jogadores e a comissão técnica, conforme admite o técnico Djokovic. "Somos seres humanos, e esse tipo de notícia leva dúvidas e retira o foco momentaneamente da equipe. Foi papel da comissão técnica manter os ânimos e os olhos nos objetivos, a cada semana, para possibilitar que pudéssemos chegar à decisão. Superamos isso com trabalho em equipe e muito sacrifício pessoal".

Como o centro de treinamento da Team One, utilizado pelo Flamengo, fechou por conta da pandemia, os cyber-atletas vêm treinando na casa onde moram o meio Bruno "Goku" Miyaguchi, o topo Jeong "WooFe" Woo-cheol e o analista Seong "Reven" Sang-hyeon.

"Quanto mais se avança em uma competição, mais times param de treinar, o que diminui os adversários disponíveis. Treinamos, mais do que nunca, com os times do Circuito Desafiante, que têm mostrado bom nível técnico e são suficientes para uma boa preparação", comenta Djokovic.

O Rubro-Negro teve 13 vitórias e oito derrotas na fase de classificação e, depois de avançar com a segunda melhor campanha, bateu a FURIA Esports por 3 a 0 nas semifinais.

O CBLoL mais difícil

O confronto entre Flamengo e KaBuM encerrará a edição mais louca do campeonato nacional de LoL, cheia de percalços e reviravoltas. A Riot Games Brasil definiu o torneio como o "CBLoL mais difícil de todos" em um vídeo promocional da final deste sábado.

Isso porque a competição teve duas intercorrências importantes. Em fevereiro, uma chuva torrencial destruiu o estúdio em São Paulo onde eram realizados os jogos e provocou a interrupção das disputas por duas semanas. Em março, houve nova paralisação, por conta da pandemia de covid-19, antes do retorno com partidas online um mês depois.

Flamengo x KaBuM no CBLoL

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol