PUBLICIDADE

Topo

Quando ainda era "mato": veja fotos do CBLoL na época das partidas online

Equipe da Keyd em 2013, quando disputava as seletivas online para o Campeonato Brasileiro de League of Legends - Divulgação/Keyd
Equipe da Keyd em 2013, quando disputava as seletivas online para o Campeonato Brasileiro de League of Legends Imagem: Divulgação/Keyd

Gabriel Oliveira

Colaboração para o START

11/04/2020 04h00

O Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL) será disputado pela internet a partir de hoje, em razão da pandemia do novo coronavírus, remontando aos primórdios do cenário competitivo. Os últimos jogos online tinham rolado em 2014, em uma seletiva para a Final Regional Brasileira, a principal competição da época.

Inteiramente disputado com partidas semanais em estúdio desde 2015, o CBLoL precisou mudar por conta da disseminação da covid-19. Todos os tipos de eventos presenciais têm sido cancelados por conta do isolamento social necessário para desacelerar a transmissão da doença.

CBLoL Online 2020 - Reprodução/YouTube - Reprodução/YouTube
Sem estúdio: devido ao coronavírus, o CBLoL passa a ser disputado online, com narradores e comentaristas representados por fotos
Imagem: Reprodução/YouTube

A 1ª Etapa do torneio em 2020 ficou suspensa por três semanas e voltou a ser disputada hoje, pela internet, pelas oito melhores equipes de League of Legends (LoL) do Brasil.

O START separou momentos e curiosidades do longínquo tempo em que as principais competições de LoL do País contavam com jogos online.

Quando era tudo mato…

CBLoL BGS - Divulgação/BGS - Divulgação/BGS
Primeiro campeonato brasileiro de LoL aconteceu na BGS 2012, em São Paulo
Imagem: Divulgação/BGS

A Riot Games Brasil começou a promover campeonatos nacionais de LoL em 2012, quando rolou o primeiro CBLoL, na Brasil Game Show (BGS), em São Paulo.

Para chegar às finais, oito equipes passaram por classificatórios online. Naquela época, os torneios que mais movimentavam a comunidade eram os GO4LoL, realizados pela ESL, também pela internet. Os prêmios para os campeões eram Riot Points (RPs), a moeda virtual do jogo, utilizada para comprar skins.

Outra curiosidade é que não havia gaming houses, as casas onde os cyber-atletas moram e treinam. Os jogadores se conheciam da web e se encontraram pessoalmente pela primeira vez na BGS. E numa situação bem diferente do profissionalismo de hoje em dia dos clubes de eSports.

Na decisão, a Vince Te Ipsus (vTi) Ignis derrotou a equipe-irmã vTi Nox e conquistou o título nacional de 2012.

vTi Ignis - Divulgação/Riot Games - Divulgação/Riot Games
Equipe da vTi Ignis em 2012, primeira campeã brasileira de League of Legends, quando o campeonato ainda nem se chamava "CBLoL"
Imagem: Divulgação/Riot Games

Fotos nada profissionais

Os times não possuíam a infraestrutura de hoje e os competidores não tinham salário. Sabe aquelas tradicionais fotos oficiais dos jogadores de braços cruzados? Nem rolava…

Muitos anúncios de equipe eram com as imagens pessoais dos contratados, inclusive com umas em que não era nem possível ver o rosto do jogador.

paiN Diretoria - Divulgação/paiN Gaming - Divulgação/paiN Gaming
Diretoria da paiN Gaming, em 2012, acompanha partida online da equipe
Imagem: Divulgação/paiN Gaming

Lag? Presente!

É claro que, disputando partidas pela internet, os times ficavam sujeitos à instabilidade na conexão. Com cada pro-player jogando da própria casa, reclamações sobre ping alto eram comuns até mesmo no chat do jogo.

RMA Keyd - Reprodução/Vivo Keyd - Reprodução/Vivo Keyd
Em 2014, jogador reclama de lag durante partida entre Keyd e RMA na seletiva GO4LoL: "Tô lagado, 50 ping. Impossível jogar"
Imagem: Reprodução/Vivo Keyd

Circuito online pré-CBLoL

Pain 2013 - Divulgação/Riot Games - Divulgação/Riot Games
A paiN Gaming foi campeã brasileira em 2013. Na foto: brtt e Kami recebem o troféu
Imagem: Divulgação/Riot Games

O CBLoL 2013 também aconteceu presencialmente, com oito times participantes, no WTC Golden Hall, em São Paulo, mas com um circuito de eventos classificatórios que teve disputas online. Dos quatro torneios que contaram pontos para o ranking, dois foram realizados pela internet.

Na época, o conceito de gaming house ainda estava começando a chegar ao Brasil. A CNB e-Sports Club, por exemplo, tinha uma casa transformada em centro de treinamento e que chamava de War Room (Sala de Guerra, em português).

Os jogadores treinavam lá por duas ou três semanas, no estilo bootcamp (período de treino intensivo), mas dormiam em hotel.

Com gaming house estabelecida, a paiN Gaming venceu o CBLoL de 2013 após derrotar a CNB na final.

Na ocasião, o LoL chamava a atenção da mídia brasileira pela capacidade de reunir torcedores apaixonados em torno de uma competição de jogo de computador. O ex-jogador e hoje treinador Leonardo "Alocs" Belo apareceu de chinelo na TV Globo quando chegava para a decisão do CBLoL 2013.

"Uma vantagem de ser jogador de game é que pode jogar de chinelo", observou a repórter. "Não preciso estar de chuteira", respondeu Alocs para a tradicional comparação com o futebol. Hoje, o CBLoL conta com padrão de vestimenta. Nada de chinela!

Treinamento paiN - Divulgação/paiN Gaming - Divulgação/paiN Gaming
Centro de treinamento da paiN Gaming em 2012
Imagem: Divulgação/paiN Gaming

Liga com jogos online

Keyd 2014 - Agência X5/Divulgação - Agência X5/Divulgação
Em 2014 o cenário começou a amadurecer, e a Keyd inovou ao trazer jogadores coreanos
Imagem: Agência X5/Divulgação

Na temporada 2014, ao mesmo tempo em que os campeonatos oficiais ficaram mais profissionais, os jogos online adquiriram maior importância.

A Liga Brasileira - Série dos Campeões, comparável à 1ª Etapa do atual CBLoL, teve partidas da fase de classificação realizadas pela internet. O torneio começou com uma disputa presencial em Porto Alegre (RS) e depois seguiu com confrontos online, até a definição das quatro equipes finalistas que lutaram pelo título em Fortaleza (CE).

Foi em 2014 que os primeiros jogadores profissionais da Coreia do Sul, país referência no LoL e nos eSports, desembarcaram no Brasil: An "SuNo" Sun-ho e Park "Winged" Tae-jin jogavam pela Keyd Stars (hoje Vivo Keyd). O CBLoL atual conta com número recorde de sul-coreanos e estrangeiros.

Na segunda competição daquele ano, que pode ser equiparada à 2ª Etapa do sistema atual, uma seletiva online definiu quatro das oito participantes da chamada Final Regional Brasileira.

Kabum 2014 - Riot Games/Divulgação - Riot Games/Divulgação
A KaBuM foi campeã brasileira em 2014, em final realizada no Ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro
Imagem: Riot Games/Divulgação

Team AWP, Kaov Carregador, Out of Position e Sexy sem ser vulgar foram as equipes que se juntaram às quatro melhores colocadas da Liga Brasileira. Como dá para perceber, três dos times não representavam clubes, o que demonstra o amadorismo que ainda existia no cenário naquela época.

Só depois é que organizações contrataram os times que haviam se classificado e não representavam nenhuma marca. A Kaov Carregador, por exemplo, passou a representar a LegendsBR, site sobre LoL das antigas.

Mudança para estúdio

CBLoL 2015 bancada - Riot Games/Divulgação - Riot Games/Divulgação
Em 2015, o CBLoL ganhou estúdio próprio, com rodadas semanais
Imagem: Riot Games/Divulgação

Em 2015, o campeonato nacional de LoL passou a ser disputado em um estúdio em São Paulo, com todas as partidas, da fase de classificação à final, presenciais. O CBLoL também ganhou o formato de liga, com jogos semanais. Foi o ano que marcou a profissionalização do League of Legends brasileiro.

O Circuito Desafiante, campeonato da 2ª divisão, continua sendo disputado online, mas com finais presenciais.

O CBLoL 2020 é retomado hoje com a 7ª semana. O calendário sofreu alterações em razão do atraso no cronograma provocado pela pandemia do novo coronavírus. O torneio também chegou a ser paralisado por conta da destruição do estúdio pela chuva, em fevereiro. Não há, ainda, informações sobre as próximas rodadas da fase de classificação, as semifinais e a decisão.

Estúdio CBLoL 2015 - Riot Games/Divulgação - Riot Games/Divulgação
Primeira versão do estúdio da Riot Games para as partidas do CBLoL, em 2015
Imagem: Riot Games/Divulgação

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol