Conteúdo publicado há 1 mês

Diretor-assistente chora e assume culpa por disparo no set de 'Rust'

O primeiro diretor assistente de "Rust", Dave Halls, afirmou em depoimento na quinta-feira que a armeira do filme era diligente em seu trabalho e que, em última análise, ele foi o culpado pelo disparo fatal contra a diretora de fotografia do filme, Halyna Hutchins, em 2021, pois não fez uma verificação final em uma arma.

Halls foi o primeiro membro da equipe de "Rust" a elogiar a armeira Hannah Gutierrez durante seu julgamento de duas semanas por homicídio culposo, no qual ex-colegas disseram que ela era menos profissional do que outros manipuladores de armas com quem haviam trabalhado.

Os jurados no julgamento ouviram Halls, um veterano do setor com créditos como "Matrix Reloaded", testemunhar que a armeira em 21 de outubro de 2021 "abandonou" seu hábito usual de verificar as armas de fogo, entregando-lhe um revólver no qual ela havia carregado por engano uma bala real.

Halls disse que não pediu a Gutierrez que lhe mostrasse todos os projéteis do revólver Colt. 45 "Peacemaker", para garantir que eram cartuchos falsos — como é a prática padrão no setor — antes de a arma ser entregue ao ator Alec Baldwin no set do filme nos arredores de Santa Fé, Novo México.

"Deixei passar uma verificação de segurança", disse Halls, às vezes enxugando as lágrimas. Halls entrou em um acordo no ano passado por uso negligente de uma arma mortal com uma sentença suspensa de seis meses.

Ele disse que pode ter sido a primeira pessoa a falar com Hutchins depois que Baldwin apontou a arma para ela enquanto preparava uma cena e o tiro foi disparado. Baldwin disse que não apertou o gatilho.

"Ela disse: 'Não sinto minhas pernas'", disse Halls, um dia depois que o médico legista que fez a autópsia de Hutchins afirmou ao tribunal que a bala atravessou sua medula espinhal.

Gutierrez disse que sacudiu os projéteis que carregou na arma para testar se eram cartuchos falsos antes de entregar a arma de fogo a Halls. Ela se declarou inocente.

Tanto Halls quanto Sarah Zachry, que cuidava dos adereços do filme, testemunharam na quinta-feira que não se lembravam de Gutierrez ter testado os projéteis no set para verificar se eram caruchos falsos.

Continua após a publicidade

Halls defendeu Baldwin, também acusado de homicídio culposo, dizendo que o ator não colocou a segurança em risco ao apressar a produção, como alegam os promotores.

Baldwin — também produtor e roteirista de Rust — tem julgamento marcado para 10 de julho e se declarou inocente.

"O sr. Baldwin nunca apressou ninguém", disse Halls.

Deixe seu comentário

Só para assinantes